Ações alertam sobre tabagismo na infância e na adolescência

Segundo OMS, 90% dos fumantes experimentam o cigarro até os 19 anos de idade

Segundo dados da Organização Mundial da Saúde (OMS), 90% dos fumantes experimentam o cigarro e se tornam dependentes até os 19 anos de idade. Para alertar sobre os riscos do fumo para os pequenos, a Secretaria Municipal de Saúde (SMS) realiza este mês ações de orientação e prevenção. As atividades marcam o Dia da Conscientização da Criança e do Adolescente quanto ao Risco do Tabagismo. Instituída pela Lei Municipal 5.577/2013, a data – 11 de outubro – é uma oportunidade para que profissionais de saúde, educação, pais e sociedade em geral possam informar e proteger as novas gerações de um produto que traz dependência e é extremamente prejudicial à vida de fumantes e dos que convivem com ele: o tabaco.

O programa de Controle do Tabagismo da SMS, em parceria com o Programa Academia Carioca e a Rede de Adolescentes Promotores da Saúde (RAP da Saúde), realiza durante o mês de outubro atividades nas escolas municipais e nas unidades de saúde. O objetivo é orientar sobre os fatores de risco do consumo de produtos derivados do tabaco. Os malefícios não atingem apenas os fumantes, mas toda a sociedade. A prevenção do tabagismo e o esclarecimento acerca de proteção à saúde buscam a construção de uma sociedade mais consciente com cidadãos mais saudáveis.

Segundo a OMS, o tabagismo é a principal causa de morte evitável no mundo, matando cerca de 50% de usuários regulares. O cigarro é o único produto que mata quando consumido como orientam os seus fabricantes. É considerado o mais importante fator de risco isolado para cerca de 50 doenças, dentre elas as cardiovasculares, o câncer e o enfisema. Em média, uma pessoa que fuma um maço de cigarros ou mais por dia vive sete anos a menos do que uma pessoa que nunca fumou. O tabagismo é uma doença crônica gerada pela dependência da nicotina, que mata cerca de cinco milhões de pessoas por ano no mundo, sendo 200.000 no Brasil.

Crianças e adolescentes têm sido expostos cada vez mais cedo ao tabagismo. Com a estatística de que 90% dos fumantes experimentam o cigarro e se tornam dependentes até os 19 anos de idade, a OMS considera o tabagismo uma doença pediátrica. No Brasil, o tabaco é a segunda droga mais consumida entre adolescentes. Pesquisas nacionais apontam níveis preocupantes de experimentação e iniciação de adolescentes no tabagismo, especialmente entre as meninas.

A nicotina é uma droga que causa dependência em cerca de 60% dos que a experimentam. Estudos demonstram a grande vulnerabilidade do cérebro dos adolescentes à dependência ao tabaco, que tende a se instalar logo nos primeiros contatos com o cigarro. Entre os jovens, os danos à saúde causados pelo tabagismo, em curto prazo, incluem problemas respiratórios, dependência da nicotina e o risco associado ao uso de outras drogas.

A exposição ao tabagismo passivo também causa uma série de malefícios às crianças. O tabagismo dos pais pode provocar doenças respiratórias como bronquite e pneumonia, particularmente durante o primeiro ano de vida, além de agravar a asma e causar otite média. O fumo passivo reduz ainda a taxa de crescimento da função pulmonar durante a infância. A exposição de mulheres não fumantes ao fumo passivo durante a gravidez pode causar baixo peso do feto ao nascer e parto prematuro, além do retardo no crescimento intra-uterino e o aborto espontâneo.

FONTE: Prefeitura Municipal do Rio de Janeiro
http://www.rio.rj.gov.br/web/smsdc

Esta entrada foi publicada em Blog. Adicione o link permanente aos seus favoritos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *