Balanço 2013: Programa Estadual de Transplantes bate recorde de doações

Ano foi marcado pelo início das cirurgias no Hospital Estadual da Criança e no Centro Estadual de Transplantes. Unidades já ocupam o segundo lugar nacional no ranking de transplantes hepáticos pediátrico e adulto, respectivamente

b_800_600_0_00_images_stories_ASCOM_PET_IMG_7518Entre 2010 e 2012, o Programa Estadual de Transplantes (PET) saltou da lanterna nacional para o segundo lugar no ranking de captação de órgãos do país. Em 2013, o recorde de doações no estado foi batido: em todo o ano foram registrados 225 doadores, contra 221 em 2012. A inauguração em fevereiro do ano passado do Centro Estadual de Transplantes (CET) e o início das cirurgias de transplantespediátricos em abril no Hospital Estadual da Criança (HEC) foram fundamentais para alcançar essa marca. Atualmente, as duas unidades ocupam, respectivamente, o segundo lugar nacional no ranking de transplantes hepáticos adulto e pediátrico.

Ao longo do ano, foram 1.434 cirurgias em todo o estado, entre cirurgias de coração, fígado (de doadores vivos e cadáveres), rim (doadores vivos e cadáveres), medula óssea, córnea e osso. Entre as operações realizadas, os números de rim (408) e córnea (310) registraram recordes.

Em novembro, o PET alcançou mais uma marca histórica: 27 doadores em um único mês. Foram captados 68 órgãos: 48 rins, 17 fígados e três corações. Também houve captação de córneas e tecidos músculo esqueléticos.

Centro Estadual de Transplantes – A unidade foi inaugurado em fevereiro, no Hospital São Francisco de Assis, na Tijuca. Ao longo de todo o ano de 2013, o CET realizou 206 transplantes, sendo 140 de rim e 76 de fígado. Com um índice de sucesso de 87%, o serviço é hoje o segundo maior transplantador de fígado do país.

Transplante pediátrico – Em abril de 2013, o Hospital Estadual da Criança começou a realizar transplantes pediátricos. Durante o ano, foram 15 procedimentos de fígado e cinco de rim, ocupando atualmente a segunda posição no ranking nacional de transplantes hepáticos em crianças.

– No ano passado, reestruturamos todo o sistema de doações e transplantes do estado, principalmente com a abertura do CET, que se tornou mais uma opção de qualidade para o paciente que precisa da cirurgia de transplante. Foi um ano bastante produtivo, mas nossa meta para 2014 é aumentar ainda mais o número de doações de órgãos – avalia o coordenador do Programa Estadual de Transplantes, Rodrigo Sarlo.

Organização de Procura de Órgãos (OPOs) – Para 2014, a principal ação do PET é a abertura das Organizações de Procura de Órgãos (OPOs) do estado do Rio de Janeiro. A primeira funcionará no Instituto Estadual de Cardiologia Aloysio de Castro (Iecac), no Humaitá. As OPOs são organismos de coordenação supra-hospitalar, responsáveis por organizar e apoiar as atividades relacionadas ao processo de doação de órgãos e tecidos. Elas vão descentralizar o processo de doação de órgãos e tecidos, fazendo uma cobertura regional pré-estabelecida.

FONTE: Governo do Estado do Rio de Janeiro
http://www.saude.rj.gov.br

Esta entrada foi publicada em Blog. Adicione o link permanente aos seus favoritos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *