Bióloga do Instituto Vital Brazil é pioneira em travessia de canoa havaiana

O percurso tem 120 km e levou 28 horas para ser completado

Pela primeira vez, uma mulher remou sozinha, de canoa havaiana, o percurso de 120 km de que vai de Charitas (em Niterói) até a Praia de Palmas, na Ilha Grande (em Angra dos Reis). A saída da bióloga do Instituto Vital Brazil Luiza Perin, de 31 anos, foi no último domingo, dia 8 de abril, às 12h30. O percurso durou 28 horas.

Não é a primeira vez que Luiza faz este percurso. Em julho de 2010, remou por 17 horas, com uma equipe composta por quatro homens e duas mulheres. “Dessa vez foi um desafio tão grande quanto o da primeira, porém estava sozinha. E isto também caracterizou uma grande novidade para o esporte de remada em canoa havaiana, em franco crescimento no Brasil. Sigo o exemplo da remadora de caiaque Simone Duarte, que já realizou grandes travessias em solitário”, conta Luiza, que começou a praticar o esporte em 2005.  

Luiza seguiu uma rotina de cerca de uma hora e meia remando e 10 minutos de descanso. Todo o percurso da bióloga foi acompanhado por um barco de apoio, onde estavam estocados muitos produtos para hidratação intensiva, barras de proteínas e suplementos alimentares para atletas. Acompanhando Luiza neste barco de apoio foram um cinegrafista e o fotógrafo Theo Andrade, amigo da remadora. O percurso tinha duração estimada de 20h, porém Luiza pegou condições de maré contra e isso dificultou um pouco.

“Me sinto realizada. Fiz o que eu queria na vida. Já tenho em mente outros planos para o verão de 2013. Foi um aprendizado, até mesmo em termos de logística que vou tirar como experiência para as próximas”, disse Luiza, radiante.

Patrocínio e apoio – Para a remada, Luiza conseguiu patrocínio da instituição que trabalha como bióloga, o Instituto Vital Brazil. Essa é a estreia também do Instituto no apoio ao esporte. “O Vital Brazil é uma empresa vinculada à Secretaria de Estado de Saúde do Rio de Janeiro. Apoiar o esporte é apoiar a prevenção e a saúde. Além disso, a Luiza é uma grande colaboradora, sempre com novas e boas ideias para o Instituto, principalmente relacionadas à questão ambiental. Nada mais justo que retribuir”, explica Antônio Werneck, presidente do Vital Brazil. Além do Instituto, outras empresas apoiaram a bióloga, como o Instituto Estadual do Ambiente (Inea), a marca de roupas femininas para surfe e bodyboard, Handcraft; a marca de MP3 Eight Co.; e o programa da rádio Oceânica FM, Consciência Ambiental. 

FONTE: Governo do Estado do Rio de Janeiro

Esta entrada foi publicada em Blog. Adicione o link permanente aos seus favoritos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *