Boletim Epidemiológico: gestantes com síndrome exantemática e microcefalia associados a infecções congênitas

A Superintendência de Vigilância Epidemiológica da Secretaria de Estado de Saúde informa que, desde 18 de novembro de 2015, quando a notificação de gestantes com manchas vermelhas na pele (exantema) se tornou obrigatória no RJ, 8.078 casos foram notificados.

Semanas epidemiológicas Notificações
1ª Semana 77
2ª Semana 36
3ª Semana 167
4ª Semana 292
5ª Semana 264
6ª Semana 314
7ª Semana 321
8ª Semana 371
9ª Semana 472
10ª Semana 426
11ª Semana 429
12ª Semana 301
13ª Semana 398
14ª Semana 414
15ª Semana 381
16ª Semana 311
17ª Semana 284
18ª Semana 267
19ª Semana 298
20ª Semana 308
21ª Semana 349
22ª Semana 282
23ª Semana 130
 Dados informados sem especificação de data  1.186
Total no RJ: 8.078

Gestantes com relato de exantema  Das 8.078 notificações de grávidas com exantema, 777 tiveram a confirmação de Zika vírus, mas ainda não há confirmação se os fetos apresentam microcefalia. É importante deixar claro que o resultado positivo para Zika vírus não configura a existência de microcefalia. Todas as gestantes serão monitoradas até o final da gestação. Observa-se queda no número de notificações a partir da 2ª semana de janeiro, evidenciando uma diminuição no número de casos sintomáticos, sugerindo uma queda na intensidade da transmissão.

Microcefalia – Entre 1º de janeiro de 2015 e 16 de abril de 2016, 36 casos de microcefalia associados a infecções congênitas foram confirmados por critérios clínico-radiológicos no estado do Rio de Janeiro. Outros 294 casos de microcefalia notificados estão em investigação para definição das causas e 82 casos foram descartados, seguindo os critérios estabelecidos pelo Ministério da Saúde. Os números são consolidados após cruzamento de informações extraídas do Sistema de Informações sobre Nascidos Vivos (SINASC) e do Relatório de Emergência em Saúde Pública (Resp), ambos do Ministério da Saúde.

Notificações – casos de microcefalia
Confirmados por critérios clínico-radiológicos 36
Notificações em investigação 294
Casos descartados 82
Total de casos notificados 412

Dos casos em investigação, 231 são de bebês já nascidos e os outros 47 são referentes ao período intrauterino. Deste total, 93 mulheres relataram histórico de manchas vermelhas pelo corpo ao longo da gravidez.

Síndrome de Guillain-Barré – O monitoramento de casos de complicação neurológica pós infecção por Zika vírus foi determinado pela Secretaria de Estado de Saúde, para estabelecer uma possível correlação entre o vírus e a SGB. Desde julho de 2015, foram notificados 95 casos de síndrome neurológica no estado do Rio de Janeiro. Destes, 29 casos são sugestivos com infecção por Zika vírus. Outros 85 casos estão em investigação para associação com zika e dez casos foram descartados por não possuírem quadro clínico compatível.

Notificações – Síndrome de Guillain- Barré
Casos notificados 95
Casos em investigação para

associação com zika

85
Casos sugestivos com infecção por zika vírus 29
Casos descartados 10

A SGB é uma doença neurológica, de origem autoimune, que tem como principal sintoma a fraqueza muscular generalizada. Em casos mais grave, pode causar a paralisia da musculatura respiratória. Foi relacionada à infecção por Zika vírus após a epidemia ocorrida na Polinésia Francesa onde o número de casos de SGB aumentou cerca de 20 vezes. No estado do RJ, a notificação é obrigatória desde julho de 2015.

Como notificar casos de gestantes com exantema  A notificação deve ser feita por profissionais de saúde em até 24 horas após identificação de gestantes que tenham apresentado relato de manchas vermelhas pelo corpo, independente da idade gestacional. Para notificar basta enviar um e-mail para o endereço notifica@saude.rj.gov.br , ligar para os telefones  (21) 2333-3993, (21) 2333-3996, (21) 98596-6553 ou preencher o formulário online disponível no sites: www.riocomsaude.com.br/exantema,  http://formsus.datasus.gov.br/site/formulario.php?id_aplicacao=23642.

FONTE: Governo do Estado do Rio de Janeiro
http://www.saude.rj.gov.br

Esta entrada foi publicada em Blog. Adicione o link permanente aos seus favoritos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *