Campanha Doe+Vida ganha apoio de cariocas e visitantes no Cristo Redentor

Ação marcou o 5o. ano de atuação do Programa Estadual de Transplantes e o lançamento do site para cadastro de pessoas que querem se declarar doadoras. Monumento será iluminado com a cor verde, que simboliza mundialmente a doação de órgãos, em apoio à campanha

unnamed (2)Um grande abraço simbólico no Cristo Redentor foi o convite para o engajamento da sociedade em prol da doação de órgãos no estado do Rio de Janeiro: aos pés de um dos principais monumentos do mundo, o Programa Estadual de Transplantes (PET) lançou, neste sábado (25), a campanha Doe+Vida, que busca incentivar a população a buscar informações e esclarecer dúvidas sobre o tema. A Doe+Vida ainda ganhou um site próprio – www.doemaisvida.com.br – onde as pessoas podem se cadastrar para se declarar doadoras de órgãos e tecidos, além de imprimir o cartão virtual Doe+Vida. Ainda neste sábado, a partir das 18h30, o monumento do Cristo será iluminado pela cor verde, que simboliza a doação de órgãos no mundo inteiro.

Para chamar a atenção do público que visitava o Corcovado, o evento contou com a participação do grupo Bando de Palhaços. De forma simples e divertida, os artistas promoveram diversas interações ao som de paródias de marchinhas que incentivavam a doação de órgãos, conquistando o apoio de cariocas e turistas ã campanha. Uma das mais populares da música brasileira, “Taí”(Pra Você Gostar de Mim), por exemplo, ganhou, entre os versos, a frase “Você tem, você tem, que doar seu coração”.

– Acho que o mais importante é desmistificar o tema ‘doação de órgãos’. Muitas pessoas não sabem como isso acontece e a campanha tem um papel esclarecedor. Acredito que a melhor forma de aumentar o número de doações é através da informação – afirmou a administradora de empresas Debora Machado. Ela autorizou a doação dos órgãos da mãe, que faleceu há quase um ano.

A legislação brasileira determina que somente familiares diretos podem autorizar a doação de órgãos de pacientes com morte encefálica. Não existe nenhum documento que possa ser deixado em vida para garantir a doação após a morte. Por isso, expressar a vontade de ser doador é a melhor forma de fazer com que os familiares conheçam a vontade uns dos outros.

Atualmente, cerca de duas mil pessoas estão à espera de um transplante no estado do Rio. O ator Duda Ribeiro, que é transplantado de rim, declarou apoio à causa e contou sua experiência.

– Se hoje estou aqui, é graças a uma família que disse sim à doação de órgãos. A campanha é importante no sentido de esclarecer e informar – afirmou.

Em cinco anos de existência, o PET colocou o Rio de Janeiro em segundo lugar no ranking nacional de transplantes no país. Foram mais de 5,2 mil vidas salvas. O número de doações também vem registrando aumento ano após ano – em 2015, até o dia 21 de abril, foram realizadas 100 doações, número que já é 20% maior do que o total de doações realizadas em 2010, quando o programa foi criado e foram realizadas 80 doações no ano inteiro. Presente no evento, o secretário de Estado de Saúde, Felipe Peixoto, destacou o avanço do RJ nos últimos anos e garantiu que o trabalho será ampliado.

– Queremos o Rio de Janeiro na liderança da realização de transplantes no país. Nada mais justo para o estado que foi pioneiro neste procedimento no Brasil. Pretendemos ampliar ainda mais a atuação do PET. Doar órgãos é um ato de amor ao próximo. É preciso que a sociedade abrace a causa, esclareça suas dúvidas e que o assunto seja conversado entre as famílias – afirmou o secretário.

A primeira-dama do Estado e presidente de honra do RioSolidario, Maria Lúcia Horta Jardim, falou sobre a importância de sensibilizar as pessoas sobre o tema.

– Eu tenho um irmão transplantado e sei como essa campanha é importante. Normalmente, a gente só pensa nisso quando precisa. Através dessa campanha, a gente busca salvar vidas. Abraço esta causa com muito carinho – ressaltou ela.

Doe+Vida: uma campanha pelo “SIM” – Atualmente, quase 50% das doações que poderiam acontecer no RJ não se concretizam pela não autorização das famílias. Entre os motivos mais comuns para a não autorização estão a falta de consenso entre os parentes, que, muitas vezes, desconhecem qual seria a vontade do paciente, e também a falta de compreensão de que a morte encefálica é um diagnóstico irreversível. Por isso, a campanha busca incentivar o diálogo e o esclarecimento de dúvidas para a conscientização da sociedade: expressar a vontade de ser doador é a melhor forma de garantir que as famílias saibam o que as pessoas pensam.

– Precisamos aumentar o número de autorizações para atender aqueles pacientes que esperam por um transplante. O cadastro na internet para se declarar doador é mais uma forma de levar este assunto para dentro de casa e estimular o diálogo”, – avaliou o coordenador do PET, Rodrigo Sarlo.

Cartilha Doe+Vida – Além das interações com o público, o evento também contou com a distribuição de folhetos explicativos sobre a campanha Doe+Vida, o site para o cadastro e impressão do cartão virtual, além de informações sobre o assunto.

– O evento foi uma oportunidade maravilhosa para alavancar a doação de órgãos. O Cristo é lugar privilegiado para o início dessa campanha de mobilização – disse o reitor do Santuário Cristo Redentor, Padre Omar Raposo.

Programa Estadual de Transplantes – O PET é responsável por coordenar todas as atividades referentes à doação de órgãos no estado do Rio de Janeiro. As equipes atuam na captação de órgãos, distribuição aos hospitais transplantadores, sempre respeitando a lista de pacientes. Os potenciais receptores de órgãos doados são definidos de acordo com uma série de critérios técnicos, tais como a compatibilidade, porte físico, entre outros, buscando, desta forma, a maior chance de sucesso para os procedimentos. Outras informações estão disponíveis no site: www.transplante.rj.gov.br

FONTE: Governo do Estado do Rio de Janeiro
http://www.saude.rj.gov.br

Esta entrada foi publicada em Blog. Adicione o link permanente aos seus favoritos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *