Centro de Tratamento de Queimados em Nilópolis completa um ano

O Centro de Tratamento de Queimados (CTQ) do Hospital Estadual Vereador Melchíades Calazans, em Nilópolis, completa um ano de existência comouma das referências hospitalares para pacientes graves que necessitam de tratamento especializado.

Violência urbana e doméstica e acidentes de trabalho são os casos mais comuns dos pacientes que dão entrada no CTQ da unidade. Felipe Pessanha de Oliveira Alves, de 22 anos, estava com um colega de trabalho removendo o letreiro de uma loja, quando esbarrou num fio de alta tensão. Recebeu uma corrente elétrica de 136 mil volts e, sem os equipamentos de proteção adequados, o choque e a queimadura foram inevitáveis. Foram 71 dias internado, com queimaduras de segundo e terceiro graus no antebraço esquerdo e nas pernas.


“Fiquei agarrado no fio de alta tensão. Estava praticamente morto, mas voltei à vida. Durante o período de recuperação, tive todo o acompanhamento da equipe do CTQ. Aqui fiz amigos e aprendi grandes lições de vida”, conta Felipe Alves, referindo não só aos profissionais de saúde, como também a outros pacientes internados que compartilharam suas histórias naquele período.


Atendimento especializado e diferenciado – A unidade dispõe de sete leitos e as internações são administradas pela Central de Regulação do Estado. Segundo o diretor da unidade Joé  Gonçalves Sestello, quando chegam ao hospital, há uma entrada separada para evitar contaminação e infecção. Para limparem a região atingida, os pacientes são anestesiados e tomam um banho completo.


Ao longo do tratamento, que é acompanhado por uma equipe treinada e especializada, os pacientes recebem alimentação rica em proteína e na reposição de eletrólitos, que contribuem para a recuperação da pele, principalmente por conta dos enxertos realizados. Dependendo do grau da queimadura, os curativos são feitos com anestesias e os pacientes levam, em média, 30 dias para cicatrizar a lesão. As cirurgias reparadoras, quando necessárias, também são feitas no hospital. 


“A equipe é treinada periodicamente pela Comissão de Infecção Hospitalar com base no protocolo elaborado pelos próprios profissionais de saúde que prestam o atendimento a queimados. Assim, garantimos o nosso padrão de atendimento”, acrescenta Sestello.



Investimentos – Nos próximos anos, será construído, em um prédio anexo, o Centro de Trauma e Queimados do Hospital Estadual Adão Pereira Nunes (HEAPN), em Duque de Caxias, na Baixada Fluminense. A proposta é que a unidade seja um centro de referência e excelência no atendimento de casos de trauma de média e alta complexidades. O HEAPN foi escolhido para abrigar a nova unidade por conta do alto número de acidentes nas Rodovias Washington Luiz e Rio-Teresópolis, região onde fica o hospital, e da proximidade com o Complexo Petroquímico, que implica alto risco de desastres químicos.


FONTE: Governo do Estado do Rio de Janeiro
Esta entrada foi publicada em Blog. Adicione o link permanente aos seus favoritos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *