CNEN integra Operação Ágata 8 no Comando Militar do Norte

Entre os dias 10 e 21 de maio acontece a Operação Ágata 8 em toda a extensão da fronteira brasileira com os dez países sul-americanos, contando com 30 mil militares da Marinha, do Exército e da Aeronáutica, além de agentes das polícias federal, rodoviária federal e militar e agências governamentais. A Comissão Nacional de Energia Nuclear (CNEN) está presente através da Coordenação de Rejeitos (COREJ), da Coordenação de Salvaguardas e Proteção Física (COSAP), da Coordenação de Comunicação Social (COCOM) e do Grupo de Proteção Radiológica (GPR) do Instituto de Pesquisas Energéticas e Nuclear (IPEN).

A Operação Ágata é a maior mobilização realizada pelo Estado no combate aos ilícitos de Norte a Sul do País, entre Oiapoque (AP) e Chuí (RS), compreendendo 27% do território nacional, onde estão 710 municípios. Em função da Copa do Mundo, essa oitava edição da Operação optou por uma mobilização que envolvesse toda a faixa de fronteira terrestre, como ocorreu na Ágata 7, por causa da Copa das Confederações.

As ações pontuais e ostensivas, coordenadas pelo Ministério da Defesa, abrangem desde a vigilância do espaço aéreo até operações de patrulha e inspeção nos principais rios e estradas que dão acesso ao país. Esta operação é complementada, no âmbito do Plano Estratégico de Fronteiras, pela Operação Sentinela, coordenada pelo Ministério da Justiça, centrada em ações de inteligência e investigação, e pelo Ministério da Defesa. Esta atuação privilegia o conceito de “interoperabilidade” das três Forças.

A Operação também contempla ações cívico-sociais que consistem em atividades como atendimento médico, odontológico e hospitalar aos locais onde concentram famílias carentes. De acordo com o balanço integrado, as sete edições anteriores da Ágata resultaram em mais de 280 mil procedimentos de saúde, 57.698 atendimentos médicos e 55.230 odontológicos, cerca de 9 mil pessoas foram vacinadas e foram distribuídos 219.003 medicamentos.

A participação da CNEN está centrada no Comando Militar do Norte (CMN) em Belém. Walter Mendes Ferreira, Coordenador de Rejeitos, explica que “a CNEN age sob demanda para quaisquer indício ou suspeita de contrabando ou incidente com material radioativo. Em paralelo, essa participação tem a função de apresentar o trabalho e as atribuições da CNEN e prestar esclarecimentos sobre segurança radiológica. Dessa forma, a Comissão está exercendo suas funções de regulação e promoção de segurança”. Também participam da operação no CMN, Lilia Belém (COSAP); Demerval Rodrigues (GPR); Malvina Bone Mitake (GPR) e Cássia Helena P. Lima (COCOM).

FONTE: CNEN
http://www.cnen.gov.br

Esta entrada foi publicada em Blog. Adicione o link permanente aos seus favoritos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *