Cuidados com os pés

Ortopedista fala sobre esporões e joanetes

Os pés costumam não ser foco de atenção da população. No entanto, são eles que sustentam o corpo e certos cuidados podem evitar problemas futuros. Vitor Miranda, ortopedista especializado em tratamento das doenças dos pés do Into  (Instituto Nacional de Traumatologia e Ortopedia Jamil Haddad), fala sobre alguns males como esporão calcâneo e joanetes, dando dicas sobre o assunto.

A dor persistente no calcanhar poder ser resultado de um problema chamado Fascite Plantar, que é popularmente conhecido como “esporão”. Antigamente acreditava-se que o crescimento ósseo (“esporão”) na região inferior do osso calcâneo era a causa da dor. No entanto, o conceito atual é de que a dor é fruto de um tipo de reação inflamatória local. A causa geralmente está relacionada a excesso de impacto local, perda da elasticidade da fascia plantar (que ocorre naturalmente) ou atrofia da pele plantar que amortece o impacto ao andar. Na maioria das vezes, o paciente se queixa de dor no calcanhar ao acordar – a primeira pisada do dia é a pior. Mas o incômodo melhora ao longo do dia e também após algum período de repouso. O exame clínico é fundamental para o diagnóstico e os exames de imagem (radiografias, ressonância etc.) são reservados para casos específicos.

“A boa notícia é que até mesmo os pés mais dolorosos não precisam de cirurgia. O tratamento é feito à base de alongamentos, gelo local e medicamentos que aliviam o desconforto. Por outro lado, o paciente precisa de uma dose extra de paciência, pois a dor pode demorar semanas para ceder completamente”, explica o ortopedista.

JOANETE – O joanete é uma deformidade estrutural dos ossos e da articulação entre o pé e o dedão. A dor é variável. Existem casos em que a pessoa sente muita dor e outros que nem tanto. A deformidade é de causa genética. “A dor ou o desconforto são, normalmente, relacionados ao tipo de calçado utilizado ou ao estilo de vida do paciente”, relaciona Vitor. 

Joanetes podem ser tratados com mudanças para calçados com a parte da frente mais larga ou sandálias de dedo, descanso, gelo e analgésicos simples. Essa abordagem visa aliviar os sintomas, já que a deformidade somente é corrigida com cirurgia. “A indicação cirúrgica acontece somente para os casos graves, ou seja, quando a dor é frequente e limita de alguma maneira o ir e vir do paciente ou quando não há melhora com as medidas ditas anteriormente. Para cada joanete, recomenda-se um procedimento específico. E a estética não deve ser levada em conta para este problema.  Aliviar a dor é o principal objetivo do tratamento”, avisa.

FONTE: INTO
Esta entrada foi publicada em Blog. Adicione o link permanente aos seus favoritos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *