Cuidados devem ser redobrados com varicela e coqueluche

Mudança de estação também aumenta alerta para prevenção contra a dengue


Doença comum entre crianças, mas altamente contagiosa, a varicela – ou catapora – é uma das enfermidades cuja incidência aumenta com o fim do inverno e início da primavera. Normalmente relacionada ao período escolar, ela já registrou 2.857 casos em 2012, no estado, sendo 572 apenas em agosto, mês que registrou o maior número de casos no ano. A varicela é uma infecção causada por vírus e sua transmissão se dá por contato direto com uma pessoa infectada, especialmente com suas secreções respiratórias.


Com sintomas como tosse seca, coriza, mal-estar e febre baixa, a coqueluche também registra um aumento do número de casos com a chegada da primavera. Em 2012 já foram confirmados 186 casos de coqueluche, contra 166 durante todo o ano de 2011. Do total registrado este ano, foram contabilizados 20 casos até agora nos meses de julho, agosto e setembro. Os meses de setembro e outubro de 2011 foram os mais críticos daquele ano, registrando 26 casos em cada um deles. A  coqueluche também é transmitida, principalmente, pelo contato direto com uma pessoa doente através de tosse, espirro ou fala.


– Nesta época do ano, observamos uma queda na incidência de gripe e outras doenças respiratórias, porém, um aumento dos casos de coqueluche e varicela nos meses de setembro e outubro – alerta Alexandre Chieppe, superintendente de Vigilância Epidemiológica e Ambiental da SES.


Como evitar – O superintendente chama a atenção para que os pais garantam a caderneta de vacinação em dia, já que a vacina é a principal forma de prevenir as a coqueluche. Duas vacinas são responsáveis pela imunização: a DTP (que imuniza contra difteria, tétano e coqueluche) e a Tetravalente (difteria, tétano, coqueluche e Haemophilus Influenzae b – HIB). A primeira deve ser aplicada em crianças até 6 anos; a segunda, em menores de 1 ano.


Com relação à varicela, as principais recomendações para evitar o contágio são o isolamento do doente e a higienização das mãos sempre que entrar em contato com alguém doente. Em casos de surtos são aplicadas vacinas para bloqueio em creches e ambiente hospitalar.


Dengue – O leve aumento das temperaturas característico da primavera também serve como um sinal de alerta no ciclo da dengue. É época de intensificar as medidas preventivas contra a doença ainda nesta época do ano, quando o número de casos costuma ser mais baixo.


– A partir de dezembro, com o tempo mais chuvoso, o mosquito Aedes aegypti se prolifera. É importante que a prevenção já comece agora – afirma Chieppe.


Campanha 10 Minutos Contra a Dengue  – Medidas simples como colocar terra nos pratos de plantas, manter latas de lixo e caixas d’água fechadas e deixar baldes e garrafas vazias virados de cabeça para baixo fazem parte da campanha “10 Minutos Contra a Dengue”, lançada pela SES como o tom do alerta para evitar o alarme e manter uma conscientização constante da população. O objetivo é estimular a população a investir 10 minutos por semana para eliminar possíveis criadouros em suas casas, já que o ambiente doméstico concentra 80% dos focos.


FONTE: Governo do Estado do Rio de Janeiro 

Esta entrada foi publicada em Blog. Adicione o link permanente aos seus favoritos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *