Doação de Órgãos: Cristo Redentor será iluminado de verde nesta quinta

No Dia Nacional de Doação de Órgãos, quem olhar para o Cristo Redentor nesta quinta-feira (27) à noite vai poder ver que uma das maravilhas do mundo moderno estará iluminado da cor verde. Essa iniciativa da Igreja Católica, em parceria com o Governo do Estado do Rio de Janeiro, é para lembrar a população do Brasil da importância da doação de órgãos.

Aliás, a data comemorada hoje está diretamente relacionada ao Dia de São Cosme e São Damião. Os dois santosda Igreja são considerados os primeiros transplantadores da história. Os gêmeos Cosme e Damião eram médicos que exerciam a profissão sem receber qualquer pagamento. Tornaram-se padroeiros dos transplantes por terem sido os responsáveis pela realização da primeira cirurgia desse tipo na humanidade. No século XII, os santosoperaram o sacristão de uma igreja na Sicília, que havia sofrido gangrena em uma das pernas e acabou resultando em uma amputação. Os dois foram a um cemitério buscar um novo órgão. O único cadáver que poderia ser utilizado era de um negro etíope. O transplante foi um sucesso e o sacristão passou a ter novamente as duas pernas, agora uma de cada cor.

Novidades para o Rio de Janeiro – O governador Sérgio Cabral e o secretário de Estado de Saúde, Sérgio Côrtes, anunciam esta tarde novidades no Programa Estadual de Transplantes. Uma dela foi antecipada pela coordenação do PET, através de bate-papo ao vivo com usuários das redes sociais. o médico Rodrigo Sarlo, do PET, divulgou que o Riopassa a contar com um Centro Estadual de Transplantes, localizado no Instituto Estadual de Cardiologia Aloysio de Castro (Iecac), no Humaitá. Assim, o Estado, além de captar órgãos, passará a realizar cirurgias de transplantes de rins até o final de 2012.

Hospital de Saracuruna bate 11 estados brasileiros – o Hospital Estadual Adão Pereira Nunes (HEAPN) recebeu hoje o prêmio “Destaque na Promoção da Doação de Órgãos” pelo Ministério da Saúde. Só este ano, o HEAPN foi responsável por 24 captações, totalizando 38 rins, 15 fígados e 2 corações. O número já é 116% maior do que todo o ano de 2011. Sozinho, o hospital captou mais do que 11 estados brasileiros. As notificações de potenciais doadores também cresceram, passando de 51, em 2011, para 73 até setembro deste ano. Por trás desses resultados está o trabalho da Comissão Intra-Hospitalar de Doações de Órgãos e Tecidos da unidade. Formado por médico, enfermeiro, psicólogo e assistente social, o setor faz uma busca ativa em setores comoemergência e terapias intensivas a procura de possíveis doadores de órgãos e tecidos e contata as famílias. Conforme a resolução do Conselho Federal de Medicina (CFM), os doadores mais indicados são os que têm morte encefálica e por coração parado.

– Quando ocorre a morte do paciente, o parente não tem mais nenhuma dúvida sobre como se dá a doação. Damos a liberdade da decisão, adotando uma cultura de atendimento humanizado. Nossa meta é contribuir para a diminuição da fila por órgãos no estado – diz Ana Paula Machado, enfermeira responsável pela Comissão Intra-hospitalar do HEAPN.

Como funciona o processo – Ao diagnosticar a morte encefálica, a comissão entra em contato com o Programa Estadual de Transplantes para organizar o processo de doação e captação de órgãos e tecidos. A comissão tem papel fundamental neste processo, pois faz a abordagem e entrevista familiar de solicitação e doação de órgãos e tecidos, aumentando as chances de sucesso entre as notificações de possíveis doadores.

– Uma comissão bem estruturada e atuante contribui bastante para todo o processo, identificando potenciais doadores e preparando os familiares para o processo, aumentando em muito os índices de efetivação de doações – afirma Rodrigo Sarlo, coordenador do Programa Estadual de Transplantes.

FONTE: Governo do Estado do Rio de Janeiro 
Esta entrada foi publicada em Blog. Adicione o link permanente aos seus favoritos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *