Expectativa dos atletas marca pesagem um dia antes do MMA Contra a Dengue

Na véspera da segunda edição do MMA Contra a Dengue, 22 lutadores subiram na balança para a pesagem oficial do evento gratuito idealizado pela Secretaria de Estado de Saúde. O rito de confirmação do peso de cada atleta é uma etapa obrigatória que antecede a subida na arena octogonal instalada no Clube Mauá, em São Gonçalo.
A luta principal será entre o norte-americano Broke Larson e o brasileiro Antônio Braga Neto. Faixa preta de wrestling, jiu-jitsu e ex-lutador do Ultimate Fighting Champioship (UFC), o americano de 34 anos é um veterano nas artes marciais mistas, com 10 anos de carreira e um currículo de 33 vitórias e seis derrotas. Após um início arrasador com 15 conquistas seguidas por finalização, Larson agora se esforça para voltar ao topo. Quanto ao evento, ele se diz orgulhoso em participar dessa causa nobre.
– Pra mim é uma honra fazer parte da apresentação e poder ajudar o governo nessa campanha de saúde pública – opina o americano.

Esta será a décima luta de MMA do amazonense Braga Neto, de 24 anos. O lutador é onze vezes campeão mundial de jiu-jitsu e espera alcançar sua oitava vitória. Para ele, participar do evento é gratificante, pois além de difundir a prática do esporte, enfrenta um mal que atinge milhares de brasileiros. 

– O combate à dengue é um motivo a mais para entrar no ringue amanhã – diz Neto.

O evento deste domingo representa uma expectativa extra para o sueco David Biekheden. Ele que vem de uma derrota por pontos da primeira edição do MMA Contra a Dengue, em 2011, precisa de mais duas vitórias para se credenciar novamente para o UFC.



O card marca também a estreia de Washington “Washingthay” Luiz no MMA. Primeiro brasileiro a conquistar a Copa do Mundo de Kickboxing e atual detentor do cinturão nacional do esporte na categoria meio-médio (até 81kg), para ele o evento trás um incentivo particular. Há 10 anos o lutador é agente municipal de saúde e durante oito horas por dia percorre residências da região da Pavuna em busca de focos do mosquito da dengue.

– Eu nunca poderia imaginar que através da minha outra profissão estaria também combatendo o mosquito Aedes aegypti. Lutar contra a

dengue é minha motivação principal – afirma Washington, um dos lutadores que melhor personifica o objetivo do evento.

FONTE: Governo do Estado do Rio de Janeiro
Esta entrada foi publicada em Blog. Adicione o link permanente aos seus favoritos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *