Família de cinegrafista Santiago Andrade recebe homenagem na abertura da Semana Nacional da Doação de Órgãos

As três unidades de saúde que mais captaram órgãos no biênio 2013/2014 pertencem à rede estadual. Nos últimos três anos, RJ aumentou em 50% transplante de órgãos e 300%, de tecidos. Rio de Janeiro ganha três novas Organizações de Procura de Órgãos

Na Semana Nacional da Doação de Órgãos, a Secretaria de Estado de Saúde promove uma série de ações para ressaltar a importância da doação para a vida de milhares de pacientes à espera de um transplante. Nesta segunda-feira, dia 22 de setembro, o Programa Estadual de Transplantes (PET) anuncia as unidades que mais captaram órgãos no período 2013/2014. São elas: hospitais estaduais Adão Pereira Nunes, Getúlio Vargas e Alberto Torres. Já os hospitais que mais fizeram transplantes no período são o Hospital São Francisco de Assis, onde funciona o Centro Estadual de Transplantes, com maior volume de cirurgias de doadores falecidos, e o Hospital Adventista Silvestre, que mais realizou procedimentos com doadores vivos.

Uma importante homenagem marca a abertura da semana de conscientização que é a entrega à família do cinegrafista Santiago Andrade da medalha do doador concedida pelo programa norte-americano Gift of Life, na Filadélfia, Estados Unidos. A medalha foi concedida por conta do gesto da família em decidir doar os órgãos do cinegrafista, mesmo em meio à grande comoção e como tal gesto influenciou outras famílias a fazer o mesmo. Cinco vidas foram salvas com os órgãos de Santiago.

Em 2014, de janeiro a setembro já foram feitas 195 captações e 1.025 transplantes de órgãos e tecidos no RJ. O número já é três vezes maior que o alcançado em todo o ano de 2008 e deixa o estado à frente de países como Suécia, Alemanha e Dinamarca.

– Hoje, cerca de 50% das famílias de pacientes com morte encefálica não autorizam a doação de órgãos. E é muito importante esclarecer que o que impulsiona o número de transplantes e a melhoria dos serviços é o ato de doar – resume o coordenador do Programa Estadual de Transplantes, Rodrigo Sarlo.

A criação do PET, em 2010, permitiu não só estruturar melhor todo o processo de transplantes no estado, como a incrementar as captações de órgãos. De lá pra cá, o RJ saiu da lanterna do ranking nacional e hoje é o segundo estado em números absolutos de doações. Paralelamente, a Secretaria de Estado de Saúde criou parcerias para a criação de dois bancos de olhos e inaugurou o Centro Estadual de Transplantes e o Hospital Estadual da Criança, responsável por realizar procedimentos infantis. Além disto, o Estado habilitou o Hospital de Traumatologia e Ortopedia Dona Lindu para transplantes de tecido músculo esquelético.

Transplantes de órgãos aumentam 50% e, de tecidos, 300% – O novo cenário permitiu que o estado aumentasse em 50% o número de transplantes de órgãos e 300%, os de tecidos. Entre os anos de 2006 e 2009, foram realizados 1.150 transplantes de órgãos e 444 de tecidos. No triênio seguinte, após o início das atividades do PET, foram feitos 1.715 transplantes de órgãos e 1.701 de tecidos.

Com isso, a fila de pessoas aguardando por um transplante de órgãos caiu cerca de 70% nos últimos seis anos, recuando de 7.580 para 2.369. A fila por transplante de fígado foi a que mais reduziu nesse período, com queda de 73%. Em seguida, as filas que mais caíram foram por rim (70%) e córnea (65%).

Novas OPOs –  Nesta quarta-feira, dia 24, o Hospital São Francisco de Assis, inaugura a segunda Organização de Procura de Órgãos (OPO) do estado. Em outubro, começam a funcionar ainda as OPOs de Itaperuna e Petrópolis. A primeira funciona desde o início do ano no Instituto Estadual de Cardiologia Aloysio de Castro (IECAC), no Humaitá. As OPOs foram criadas para descentralizar e aperfeiçoar o processo de doação de órgãos e tecidos nos hospitais abrangidos por cada uma dessas novas unidades. Elas atuam em conjunto com as equipes já existentes do PET, como o grupo de Terapia Intensiva e a Coordenação Familiar, por exemplo, responsáveis pelo suporte clínico aos potenciais doadores e às famílias, respectivamente. As notificações de órgãos continuarão a ser feitas ao PET através do Disque Transplantes.

Programação

No dia 24, o cardeal Dom Orani Tempesta vai celebrar uma missa no Hospital São Francisco de Assis, na Tijuca, onde fica o Centro Estadual de Transplantes, em homenagem aos doadores e aos pacientes transplantados. A solenidade será aberta ao público. No mesmo dia, a unidade inaugura a segunda Organização de Procura de Órgãos (OPO) da capital fluminense.

Entre os dias 22 e 25, o Hospital Estadual da Criança também terá atividades especiais. O tema da campanha pela doação na unidade este ano será “Amor que não se mede”. De segunda a quarta, haverá palestras com o tema: “Sou doador de órgãos. E você?”. No dia 25, haverá uma festa para as crianças tratadas na unidade.

Para comemorar a Semana Nacional de Doação de Órgãos, os Hospitais Estaduais Adão Pereira Nunes (HEAPN) e Getúlio Vargas (HEGV) realizarão café da manhã com mesas redondas, palestras, cursos e encontro de famílias doadoras e receptoras.

SERVIÇO
Programa Estadual de Transplantes
22/09 – Homenagem aos hospitais destaque em doação e transplante de órgãos e entrega da medalha do doador do Programa Gift of Life (Philadelphia, EUA) no Hotel Novo Mundo, Flamengo, às 9h.

Hospital São Francisco de Assis
24/09 – Missa solene celebrada pelo cardeal Dom Orani Tempesta e inauguração da nova Organização de Procura de Órgãos às 15h.

Hospital Estadual da Criança
De 22 a 24/09 – Palestras “Sou doador de órgãos. E você?”
25/09 – Festa para os pacientes tratados na unidade às 10h.

Hospital Estadual Alberto Torres
25/09 – Culto ecumênico às 10h e palestra às 11h.

Hospital Estadual Getúlio Vargas
De 23 a 26/09 – Palestras, cursos e mesa redonda para colaboradores, e encontro com famílias receptoras e doadoras, às 8h.

Hospital Estadual Adão Pereira Nunes
25/09 – Café da manhã e mesa redonda para colaboradores da unidade e do PET às 9h; Primeiro Encontro Médico-Jurídico sobre doação de órgãos às 14h.

FONTE: Governo do Estado do Rio de Janeiro
http://www.saude.rj.gov.br

Esta entrada foi publicada em Blog. Adicione o link permanente aos seus favoritos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *