Hospitais Estaduais Albert Schweitzer e Rocha Faria passarão para a gestão municipal

Os dois hospitais juntos atendem a cerca de 400 mil pessoas por ano. Unidades serão assumidas pela prefeitura nos próximos dias

O governador Luiz Fernando Pezão e o prefeito Eduardo Paes anunciaram, nesta terça-feira, dia 5, que os hospitais estaduais Rocha Faria, em Campo Grande, e Albert Schweitzer, em Realengo, passarão a ser administrados pela Prefeitura do Rio. Com a medida, segundo a Secretaria Estadual de Saúde, o Governo do Estado deve economizar cerca de R$ 500 milhões por ano. Segundo o acordo, a transição já terá início nesta quarta-feira, dia 6 de janeiro, no Albert Schweitzer, e no dia 11, no Rocha Faria.

O hospital Albert Schweitzer disponibiliza 484 leitos e realiza cerca de 10.500 atendimentos por mês de Urgência/Emergência em Clínica Médica, Cirurgia Geral, Ortopedia, Pediatria e Maternidade (UTI Adulto / Pediátrico / Neonatal). Em 2015, foi responsável por 16 mil internações. O hospital Rocha Faria conta com 300 leitos e faz cerca de 10 mil atendimentos por mês de Urgência/Emergência em Cirurgia Geral, Clínica Médica, Ortopedia, Pediatria e Maternidade (UTI Adulto / Neonatal). Ano passado, realizou 7.800 internações.

– A Zona Oeste é um local que precisa ter a saúde cada vez mais forte. Nesse momento difícil de finanças, esse acordo nos desonera e nos permite focar em outras unidades também importantes, como o Getúlio Vargas e Carlos Chagas – disse o governador Luiz Fernando Pezão.

O secretário municipal de Governo, Pedro Paulo, vai coordenar a transição das unidades a partir desta quarta-feira no Hospital Albert Schweitzer, que passa a ser municipal no dia 7. Durante o processo, a população não ficará desassistida e o atendimento aos pacientes de urgência e emergência seguirá normal. A medida aumentará o investimento da Prefeitura do Rio em Saúde de 21% para 25% de seu orçamento, chegando a cerca de R$ 5 bilhões por ano.

– Todos nós sabemos das dificuldades do país e especialmente do governo do Estado. Já era nosso desejo municipalizar essas duas unidades desde quando pegamos o Hospital Pedro II – reiterou o prefeito Eduardo Paes.

Amanhã, às 8h, no hospital Albert Schweitzer, o Secretário Municipal de Governo, Pedro Paulo, realiza a primeira reunião com a comissão de transição:

– A Prefeitura vai passar a cuidar da saúde de quem mais precisa. A saúde pública da Zona Oeste passa a ser de nossa inteira responsabilidade. É o maior passo na saúde pública que estamos dando nos últimos anos.

Os recursos não serão remanejados do orçamento da Saúde do município. São recursos de caixa, fruto de superávit, de economia feita pelo Município.

Com a municipalização dos dois hospitais estaduais, a Secretaria Municipal de Saúde terá o maior número de leitos hospitalares do País e será responsável por mais de 50 mil partos na cidade. Atualmente com 3.441 leitos, passará a ter 4.173.

Os servidores estaduais continuarão sob a gestão do Estado assim como as UPAs municipais e o SAMU.

FONTE: Prefeitura Municipal do Rio de Janeiro
http://www.rio.rj.gov.br/web/smsdc

Esta entrada foi publicada em Blog. Adicione o link permanente aos seus favoritos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *