Hospital da Mãe cria serviço aos moradores da Baixada Fluminense para tirar dúvidas sobre gestação, maternidade e amamentação

unnamedO Hospital Estadual da Mãe, em Mesquita, inaugurou mais um serviço para levar informações sobre gestação, desafios da maternidade e incentivo à amamentação aos moradores da Baixada Fluminense. O grupo denominado Amor de Mãe conta com a participação de funcionários da unidade, entre enfermeiros, assistentes sociais, nutricionistas, psicólogos, fonoaudiólogos e fisioterapeutas. O trabalho é feito em parceira com profissionais das Unidades Básicas de Saúde (UBS) da região, visando divulgar o espaço e encaminhar gestantes, mães e outros familiares que desejem participar das discussões.

Na primeira terça-feira do mês, das 9h30 às 11h, o grupo se encontra na sala de educação permanente do hospital. A coordenadora da Comissão de Apoio de Incentivo ao Aleitamento Materno, Fernanda Melino, explica como funcionam as reuniões.

– No Hospital da Mãe realizamos mais de 500 partos por mês e é comum atendermos mulheres que trazem dúvidas sobre a maternidade, mesmo aquelas que já têm filhos. O Amor de Mãe foi criado para que possamos levar informações sobre a gestação, cuidados com o bebê, nutrição, planejamento familiar, doenças sexualmente transmissíveis e aleitamento materno e maternidade à comunidade – detalha.

Para se ter uma ideia da importância do esclarecimento sobre a amamentação, um estudo feito pela enfermeira Patricia Peres, que trabalha em uma UBS com pacientes desta região e é uma das orientadoras do Amor de Mãe, analisou 1.200 crianças até o 1º ano de vida, em sete municípios da Baixada Fluminense. Deste total, apenas 68% dos bebês com até seis meses recebem leite materno como alimento exclusivo. A Organização Mundial de Saúde preconiza que as crianças nesta idade sejam alimentadas exclusivamente com leite materno, exceto quando há contraindicação ao aleitamento.

Em maio de 2013, o Hospital Estadual da Mãe inaugurou o ambulatório de amamentação, para orientar pacientes que tenham dificuldade de fazer o aleitamento, mesmo aquelas que já receberam alta. O serviço funciona todos os dias, de segunda a sexta-feira, e já recebeu mais de 150 mulheres.

Atendimento às adolescentes – Outro serviço de destaque no Hospital Estadual da Mãe é o Centro de Estudos e Atendimento da Mulher Adolescente (Ceama), projeto que faz parte do Ambulatório de adolescentes que funciona na unidade. As pautas dos encontros, que acontecem todas as manhãs de segunda-feira, abordam temas essenciais neste momento da vida das jovens como alterações fisiológicas da gestação, mudança do corpo e das emoções, nutrição e aleitamento materno, direitos civis da gestante, importância da continuidade dos estudos, planejamento familiar e orientações sobre doenças sexualmente transmissíveis e contracepção, cuidados com o bebê, além de promover a troca de experiência entre as participantes. Os pré-requisitos para a gestante ser atendida pelo serviço é ter menos de 19 anos e estar fazendo o pré-natal no hospital. Hoje, 20% das gestantes atendidas na unidade são adolescentes.

FONTE: Governo do Estado do Rio de Janeiro
http://www.saude.rj.gov.br

Esta entrada foi publicada em Blog. Adicione o link permanente aos seus favoritos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *