Hospital da Mulher é a primeira unidade pública do Estado a realizar o teste do coraçãozinho

As mães de bebês nascidosHospital da Mulher Heloneida Studart (HMHS), já contam com mais um recurso para garantir a saúde e o bem estar dos pequenos. A unidade é a única pública no Rio de Janeiro que realiza o teste do coraçãozinho. Além do teste do pezinho e da orelhinha, a unidade já conta com este novo exame que pode salvar a vida de bebês que nascem com cardiopatias complexas e que necessitam de intervenção cirúrgica. Indolor e prático, o teste leva menos de 5 minutos para ser realizado e detecta problemas no coração do bebê antes de aparecerem os sintomas.

– Assim comoo teste do pezinho e da orelhinha, o teste do coraçãozinho também é um exame de triagem que realizamos com todos os bebês nascidos no hospital. O exame é muito importante, só para ter uma ideia, cerca de 30% de crianças que nascem com cardiopatia complexa, não desenvolvem sintomas e ganham alta. As cardiopatias são diagnosticadas tardiamente e o bebê acaba correndo risco de morrer se não for operado logo. O teste do coraçãozinho consegue diminuir em 10% a mortalidade infantil porque aumenta as chances de sobrevida do bebê cardiopata. – afirma a coordenadora da UTI Neonatal do Hospital da Mulher, Dra. Cristiane Gomes Guimarães.

Como é feito o teste?

Duas pulseiras são colocadas na mão direito e em um dos pés do bebê. Elas servem para medir a quantidade de oxigênio no sangue, através de um monitor ligado as pulseiras. Se a taxa de oxigênio estiver abaixo de 95%, será necessário repetir o exame e caso o resultado permaneça, o bebê deve ser encaminhado para realizar o exame de ecocardiograma e, então, detectar a cardiopatia. O teste do coraçãozinho tem especificidade de 99%, ou seja, significa que aqueles exames que obtiveram resultado negativo, tem grande porcentagem de não ter a doença.

Realização do teste já virou Lei no Paraná – Deputados estaduais no Paraná aprovaram em junho deste ano, um projeto de lei para que o teste do coraçãozinho seja feito em todos os recém-nascidos nas maternidades e casas hospitalares do estado. Sabendo da importância do exame,  a saúde do Rio de Janeiro se antecipou colocando o teste em uma unidade do Estado.

FONTE: Governo do Estado do Rio de Janeiro 
Esta entrada foi publicada em Blog. Adicione o link permanente aos seus favoritos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *