Hospital Dona Lindu passa a oferecer Residência em Ortopedia

Menos de dois anos depois de ser inaugurado e três meses após ser apontado como primeiro colocado no ranking nacional de atendimento ao trauma, com aproximadamente 3 mil procedimentos cirúrgicos realizados entre janeiro e dezembro de 2011, o Hospital de Traumatologia e Ortopedia Dona Lindu, em Paraíba do Sul, entra para a área pedagógica com a implantação do Curso de Residência em Ortopedia. As duas primeiras vagas – de um total de seis ao longo de três anos – já foram ocupadas.

A criação do curso de residência no hospital foi aprovada pelo Ministério da Educação (MEC) e pela Sociedade Brasileira de Ortopedia (SBOT). O processo no MEC durou quase um ano e começou em março de 2011, com a inscrição da instituição no Ministério.

De acordo com o coordenador da Residência Médica, Marco Antônio Rocha, inicialmente foi apresentado ao MEC um projeto com informações sobre o planejamento pedagógico, apresentação da estrutura que a unidade dispõe e descrição do corpo clínico. A certificação veio depois de um processo bastante rigoroso que envolveu também o Ministério da Saúde e a Sociedade Brasileira de Ortopedia.

Na avaliação de Marco Antônio Rocha, o Hospital Dona Lindu se destacou por vários aspectos nesse processo: tanto pelo corpo clínico, bem preparado, quanto pela estrutura física e de equipamentos. “Acredito que foi um conjunto de fatores que garantiu o nosso sucesso. Não adiantaria um corpo clínico bem preparado se não tivéssemos uma estrutura correspondente. Ambos são bastante sólidos”, explicou.

A unidade – O Hospital Estadual de Traumatologia e Ortopedia Dona Lindu cumpre a função de atender uma demanda formada por pacientes que, antes, precisavam se deslocar do interior do Estado para a capital e buscar atendimento no Instituto Nacional de Traumatologia e Ortopedia (Into). 

Para as cirurgias eletivas, os pacientes são referenciados pelo Sistema Estadual de Regulação (SER), pelo Relatório de Trauma do Estado e pelo Into. Já para os exames complementares, como tomografia e ultrassonografias, os pacientes são encaminhados pelo Rio Imagem e pelas Secretarias Municipais de Saúde.

A cada mês, o HTODL realiza, em média, 250 cirurgias, 2.400 atendimentos ambulatoriais e 15.400 exames, feitos por uma equipe especializada, composta por 264 funcionários, 220 terceirizados e um corpo clínico de 86 médicos.

A unidade conta com aparelhos de alta tecnologia, como um tomógrafo de 16 canais, e uma estrutura composta por 72 leitos (sendo sete de UTI), quatro salas cirúrgicas, seis consultórios ambulatoriais, centro de imagens e ambientes climatizados. Especializado em atendimentos de média e alta complexidade, o Hospital Dona Lindu realizou 3.153 operações ao longo de 2011.

Satisfação – Recentemente, foi divulgada uma pesquisa realizada na unidade entre novembro de 2010 e outubro de 2011 para medir o grau de satisfação dos usuários. Contatou-se que 97% deles estão muito satisfeitos com o atendimento recebido no hospital.

Aplicada no segundo dia de hospitalização, a pesquisa foi realizada enquanto o paciente está no leito. Entre os quesitos avaliados, estão a rapidez e eficiência no atendimento, a limpeza das instalações, a qualidade da alimentação, assim como os procedimentos médicos e da equipe de enfermagem. Participaram desse último estudo cerca de 2.200 pacientes.
FONTE: Governo do Estado do Rio de Janeiro
Esta entrada foi publicada em Blog. Adicione o link permanente aos seus favoritos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *