Hospital Miguel Couto inicia mutirão de cirurgias de catarata

Em um mês, unidade vai zerar a fila interna e abrir novas vagas para o SISREG

O prefeito Marcelo Crivella e o secretário municipal de Saúde, Carlos Eduardo de Mattos, acompanharam nesta segunda-feira, 3 de abril, o início do mutirão de cirurgias de catarata no Hospital Municipal Miguel Couto, na Gávea. Em um mês a unidade deverá zerar a fila interna de 150 pacientes que esperam o procedimento, abrindo assim novas vagas para o Sistema de Regulação do município (SISREG), onde cerca de 8 mil pessoas com diagnóstico clínico de catarata aguardam para serem encaminhadas para o serviço especializado.

A realização do mutirão é possível graças à entrega ao hospital, no mês passado, de um novo microscópio oftalmológico, que permite dobrar a média de cirurgias mensais de catarata realizadas pela unidade: de 30 para 60. Além do Miguel Couto, no Hospital Municipal da Piedade um dos dois microscópios da unidade está sendo reparado e, ainda este mês, deverá estar novamente em funcionamento, aumentando consideravelmente a oferta deste procedimento na rede municipal.

“O idoso com catarata, se não fizer a operação em um ano, terá lesão na vista para sempre. A criança que nasce com catarata congênita, se não fizer a cirurgia nos seis primeiros meses, terá o globo e o nervo oculares comprometidos e ficará cega para sempre”, disse o prefeito Marcelo Crivella, ressaltando a importância da realização do mutirão de cirurgias para aumentar a capacidade do município de atender os pacientes que aguardam na fila do SISREG.

O secretário Carlos Eduardo destacou que esta é a primeira vez que o Hospital Municipal Miguel Couto faz um mutirão de cirurgias de catarata. A unidade se prepara para repetir o mutirão durante uma semana de cada um dos próximos meses, com realização de 50 operações só nesses períodos, possibilitando assim o aumento da oferta mensal de vagas ao SISREG.

“Nosso objetivo é fazer andar essa fila que fere nosso senso de dignidade, em que os pacientes esperam por um ano, dois anos por uma cirurgia que é tão simples e que ressocializa a pessoa. Nós queremos reduzir esse tempo de espera, porque sabemos que quanto mais demorado, maior é o risco de o paciente ter lesões irreversíveis”, explicou o secretário Carlos Eduardo.

Além do novo microscópio oftalmológico do Miguel Couto e do conserto de um dos microscópios do Hospital da Piedade, a Secretaria Municipal de Saúde (SMS) conta também com outras estratégias para aumentar a oferta de cirurgias de catarata. Com o decreto assinado mês passado pelo prefeito Marcelo Crivella, que autoriza a troca da dívida de ISS das operadoras de plano de saúde por consultas, exames e procedimentos, a SMS espera conseguir a adesão das empresas, abrindo vagas para pacientes da rede pública também em unidades privadas.

FONTE: Prefeitura Municipal do Rio de Janeiro
http://www.rio.rj.gov.br/web/smsdc

Esta entrada foi publicada em Blog e marcada com a tag , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , . Adicione o link permanente aos seus favoritos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *