Instituto Nacional de Traumatologia faz mutirão de cirurgias de joelho

Ação iniciada nesta segunda-feira (22) reduzirá o tempo de espera por cirurgia e será concentrada no tratamento das doenças que afetam a articulação do joelho

Com o objetivo de reduzir o tempo de espera por cirurgias ortopédicas, o Instituto Nacional de Traumatologia e Ortopedia Jamil Haddad (Into)inicia, nesta segunda-feira (22), mutirão de cirurgias de joelho. A ação, que acontece até sexta-feira (26), no Rio de Janeiro, prevê atender 120 pacientes que necessitam de procedimentos de média e alta complexidade.

Durante os cinco dias de atendimento serão realizadas cirurgias de alta complexidade, como artroplastia total primária, artroscopia, osteotomia e a reconstrução de ligamentos, beneficiando pacientes com artrose e artrites, além de lesões e deformidades que comprometem a função normal do joelho. Os procedimentos têm alto grau de resolutividade e recuperam a qualidade de vida do paciente.

“A maioria dos pacientes são idosos com diagnóstico de artrose, doença que causa o desgaste da articulação, provocando dor, inchaço e rigidez. A cirurgia restaura a função do joelho e alivia a dor, permitindo que a pessoa retorne às suas atividades diárias. Os pacientes passam ainda por tratamento de fisioterapia para ajudar na reabilitação”, explica Naasson Cavanellas, especialista em joelho e vice-diretor do Into.

O Centro de Cirurgia de Joelho, do Into, conta com equipe multidisciplinar e realiza cerca de mil consultas e 120 procedimentos cirúrgicos por mês. Em 2013, alcançou sua maior produção, com 1.524 cirurgias diversas ao longo do ano, sendo a maior parte de artroplastia total primária, para substituir a articulação por prótese.

AVANÇOS – Desde 2013, o Into vem adotando uma série de medidas para ampliar e acelerar o atendimento cirúrgico aos pacientes ortopédicos. As ações estão sendo realizadas em conjunto com representantes do Ministério Público Federal e do Departamento Nacional de Auditoria do SUS (Denasus), do Ministério da Saúde. Entre as ações destacam-se 19 mutirões de cirurgia, incluindo o mutirão de cirurgias do joelho realizado nesta semana.

O Instituto também realizou o recadastramento e a revisão administrativa e assistencial de pacientes da lista de espera, além de formalizar parcerias com unidades de saúde com serviço de ortopedia, como os hospitais estaduais da Criança e Dona Lindu, no Rio de Janeiro. Essas medidas permitiram a redução da fila, que em dezembro de 2012 era de 21 mil pessoas, para 14 mil, sendo 5,2 mil incluídos este ano. De janeiro de 2013 para cá, foram realizados 13.987 procedimentos cirúrgicos até agosto de 2014. Em relação a 2012, houve um aumento de 42% no número de cirurgias.

FONTE: Ministério da Saúde
http://www.saude.gov.br

Esta entrada foi publicada em Blog. Adicione o link permanente aos seus favoritos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *