Licenciamento sanitário de alto risco será online

Estabelecimentos farão autodeclaração e documento será emitido em 72 horas

Já está em vigor o decreto que estabelece a retirada do licenciamento sanitário pela internet, para as atividades de médio e alto risco, através do preenchimento de uma autodeclaração, onde os proprietários de estabelecimentos de alimentos e saúde se comprometem em cumprir as normas higiênico-sanitárias vigentes.

São consideradas atividades de médio e alto riscos a assistência médica ambulatorial, laboratórios de análises clínicas e patologia clínica, diagnóstico e terapia, assistência domiciliar, restaurantes e churrascarias, mercados e supermercados, quiosques da orla, indústria de alimentos e cozinhas industriais.

Com a publicação do decreto, o licenciamento já poderá ser solicitado ainda neste ano, após a implantação do sistema da autodeclaração. Através de um programa eletrônico, o proprietário vai preencher os formulários que o façam declarar que seu estabelecimento está obedecendo a legislação vigente e assumir a responsabilidade pela prevenção dos riscos que podem ser provocados pelo serviço oferecido.

Após a validação desses formulários pelo sistema será emitida uma licença sanitária provisória, em até 72 horas, com validade de dois anos, que é o prazo que técnicos da Vigilância Sanitária terão para verificar a veracidade das informações. Assim que essa verificação for feita e as informações comprovadas, será emitido um novo licenciamento por mais dois anos.

Se durante a visita os técnicos constatarem que o proprietário mentiu ao preencher a autodeclaração, agindo de má-fé, haverá punições rígidas que vão do fechamento do estabelecimento à acusação por estelionato, dentre outros crimes mais graves.

Com o preenchimento de formulários através do sistema, a quantidade de papéis irá diminuir significativamente e a mão-de-obra usada nas inspeções será melhor aproveitada. Além disso, com a autodeclaração os proprietários dos estabelecimentos vão conhecer em detalhes as normas higiênico sanitárias, o que vai possibilitar a diminuição de infrações, já que a maioria dos incidentes acontece por conta de desinformação.

A autodeclaração fará parte do Sistema de Informação da Vigilância Sanitária, que vai otimizar os procedimentos fiscalizatórios, possibilitando a identificação mais ágil dos riscos sanitários; o trâmite de processos administrativos, como licenciamento, recursos e revalidações; o banco de dados, com a relação de todos os estabelecimentos regulados e a atualização das informações de cada um.

FONTE: Prefeitura Municipal do Rio de Janeiro
http://www.rio.rj.gov.br/web/smsdc

Esta entrada foi publicada em Blog. Adicione o link permanente aos seus favoritos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *