Maio Amarelo ilumina o Cristo Redentor em prol do trânsito seguro

Apoiado pela secretaria de Estado de Saúde e pelo Detran, movimento chama a atenção da sociedade para os índices de mortes e feridos no trânsito em todo o mundo

b_800_600_0_00_images_stories_ASCOM_Maio-Amarelo_cristo_-_maio_amarelo_172Alertar a sociedade sobre a importância da responsabilidade no trânsito é o principal objetivo do Maio Amarelo, movimento que, neste sábado (9/5), deixou o Cristo Redentor iluminado pela cor que simboliza a luta por um trânsito mais seguro. Além da iluminação especial, foi realizado um ato ecumênico aos pés do monumento, com a presença de diversos segmentos, incluindo representantes do Observatório Nacional de Segurança Viária.

No estado do Rio de Janeiro, foi registrada redução do número de mortes por acidentes de trânsito de 2013 para 2014: quase 60% a menos. Já no número de acidentes no trânsito, dados do Maio Amarelo mostram que o Rio registrou redução de 44% neste tipo de ocorrência, em 2013, na comparação com 2012.

Os índices, porém, ainda são altos. Presente no evento, o secretário de Estado de Saúde, Felipe Peixoto, destacou que a falta de prudência no trânsito reflete diretamente na rede pública de saúde.

– Em 2014, tivemos 11,1 mil internações de vítimas de acidentes de trânsito, somadas as da rede pública e das unidades que atendem pelo SUS no estado do Rio. Em todo o estado, foram mais de 1,6 mil mortes. São dados que representam redução em comparação aos registros de 2013, mas mostram índices ainda muito altos. Estamos à disposição para colaborar com a elaboração de projetos com o objetivo de reduzir esses números. Além da perda de vidas, que é irreparável, a imprudência no trânsito gera uma conta alta para toda a sociedade e para o atendimento de saúde – afirmou.

A atuação pioneira da Operação Lei Seca (OLS), campanha permanente de fiscalização e conscientização sobre os perigos da combinação álcool e direção, lançada em 2009, pelo Governo do Estado, foi citada como exemplo: a OLS realiza ações constantes de fiscalização e conscientização voltadas para o engajamento da sociedade na colaboração de todos para a segurança no trânsito. Ao longo dos últimos anos, a OLS colaborou diretamente para a redução dos índices de violência no trânsito.

Vítima de um acidente em que perdeu a mãe há três anos, a jovem Michele Nascimento acompanhou o evento no Cristo. Para ela, mudar a realidade no trânsito depende de todos.

– Minha mãe morreu em um acidente. Um motorista alcoolizado bateu no carro onde ela estava. A dor é inimaginável. Hoje, me dedico às ações de conscientização que buscam evitar essas tragédias. As pessoas precisam entender que álcool e direção não combinam – desabafou ela.

FONTE: Governo do Estado do Rio de Janeiro
http://www.saude.rj.gov.br

Esta entrada foi publicada em Blog. Adicione o link permanente aos seus favoritos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *