Ministro da Saúde destina recursos para Urgência e Patologia Clínica do HC

“O Brasil é o país que mais envelheceu no mundo nos últimos dez anos, o que representa uma pressão enorme sobre os serviços de saúde e faz com que precisemos de uma urgência e emergência de qualidade cada vez melhor”, afirmou o ministro da Saúde, Alexandre Padilha, em visita ao Hospital de Clínicas (HC) da Unicamp na manhã desta quinta-feira. Ele veio assinar contratos destinando R$ 5,745 milhões para reformas na Unidade de Emergência Referenciada (UER) e nos laboratórios de Patologia Clínica do hospital. “Convênios como esses são fundamentais para a estruturação do Sistema Único de Saúde.”


Ex-aluno da Unicamp, Padilha lembra que logo ao assumir a pasta foi convidado a ministrar a aula inaugural para uma nova turma da Faculdade de Ciências Médicas (FCM), quando pôde averiguar as instalações do HC e seu Pronto-Socorro. “Conversamos que é preciso mudar a realidade de um espaço que por vezes acaba esquecido em outras instituições. Tivemos hospitais universitários que simplesmente fecharam seus prontos-socorros, desconsiderando uma parte importante não só do hospital, mas sobretudo para a formação dos profissionais da saúde que sairão da faculdade.”

O ministro disse comemorar o fato de a Unicamp manter este desafio, apesar de sofrer toda a pressão da demanda de pacientes que não encontram atendimento no conjunto da rede de saúde. “É fundamental essa decisão, e também que o espaço seja humanizado e adequado à altura de tudo o que a medicina aprendeu nos últimos quinze ou vinte anos em atendimento de urgência e emergência. Não teremos profissionais comprometidos em oferecer um atendimento de qualidade se a própria escola não apresentar uma prática exemplar.”

Do total dos recursos do Ministério da Saúde, R$ 2,870 milhões serão aplicados na readequação física da UER, que possui atualmente 1.430 m². As reformas estarão baseadas em novos conceitos para humanização estabelecidos pelo MS e abrangerá a remodelação e realocação de diversas salas, entre elas as de urgência/emergência (Área Vermelha), ampliação de consultórios, uma área de observação exclusiva para psiquiatria, salas individualizadas para o Serviço Social, área de isolamento com pressão negativa para pediatria e readequação de todo fluxo na área.

A Divisão de Patologia Clínica do Hospital de Clínicas também vai realizar uma série de reformas e adequações, entre elas o fluxo diferenciado para melhorar o atendimento de pacientes em geral e de portadores de necessidades especiais; reforma da recepção e espera dos pacientes; climatização; sala de espera com brinquedoteca para coleta infantil, além da instalação de um sistema de transporte por tubo pneumático de amostras entre a UER, o Centro Cirúrgido/UTIs e os laboratórios, visando otimizar o tempo entre a coleta e a liberação do resultado do exame.

O professor Manoel Barros Bértolo [VÍDEO], superintendente do HC, ressalta a importância deste convênio para a melhoria na qualidade do atendimento da Unidade de Emergência Referenciada. “As condições dos serviços de emergência na região de Campinas não estão adequadas e temos muitos pacientes. Esse financiamento vai trazer uma melhoria no serviço e também de qualidade nos exames laboratoriais de patologia clínica, além de novos equipamentos para diagnósticos não só na emergência como em todo o hospital. Vamos dar início às licitações, com início das obras já nesse ano.”

Para Bértolo, o HC vive um momento diferenciado, contando com recursos também da Secretaria de Estado da Saúde e da própria Unicamp que permitiram promover melhorias em diversos setores, como Centro Cirúrgico Ambulatorial, Oftalmologia, Broncoscopia, Enfermaria e ambulatórios. “Recebemos grande ajuda da Reitoria para o projeto de informatização de todo o hospital (ambulatórios, consultórios, Centro Cirúrgico, Pronto-Socorro, prontuário eletrônico).”

O professor Mario Saad, diretor da FCM, garantiu o momento de descontração ao brincar que o ministro Alexandre Padilha foi um dos poucos alunos a quem concedeu nota dez no curso de medicina. “É comum que as universidades americanas citem pessoas influentes que passaram por elas: Harvard fala com orgulho de Kennedy e Obama, e Yale dos Clinton”, observou. “A nossa Universidade, apesar de jovem, fez um secretário estadual da Saúde, o professor Cármino [Antonio de Souza] e agora um ministro – que nos revelou há pouco que todo o seu primeiro escalão tem doutorado na Unicamp.”

Aproveitando o mote, o reitor em exercício Edgar Salvadori De Decca, que presidiu a cerimônia de assinatura dos contratos, disse que a Universidade é a maior beneficiada pelo convênio com o MS. “Os recursos são úteis para atender à saúde da Região Metropolitana de Campinas e também tornam possível formar recursos humanos. O testemunho do ministro de que todo o seu escalação é doutorado na Unicamp, mostra que temos um polo local de atuação, mas que a irradiação do conhecimento universitário não tem fronteiras.”
FONTE: UNICAMP

Esta entrada foi publicada em Blog. Adicione o link permanente aos seus favoritos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *