Ministro da Saúde inicia caravana de combate ao Aedes aegypti pelo Ceará

Agenda nas cidades do Crato e de Juazeiro tem o objetivo de fortalecer ações de controle e conscientizar a população sobre as medidas de prevenção contra o mosquito Aedes aeqypti

O ministro da Saúde, Marcelo Castro, iniciou, nesta sexta-feira (22), no município do Crato (CE), a caravana de mobilização para o enfrentamento ao Aedes aegypti e à Microcefalia. O objetivo é fortalecer as ações de assistência à saúde e conscientizar a população sobre as medidas de prevenção para eliminar focos do mosquito transmissor da dengue, chikungunya e Zika.

Depois de reforçar o combate ao mosquito nos estados do Mato Grosso do Sul, Rio de Janeiro e do Maranhão, o ministro inicia uma caravana pelo Nordeste, região que apresenta incidência significativa de casos de dengue e de microcefalia registrados nos estados. No Crato, Marcelo Castro se reuniu com o governador do Ceará, Camilo Santana, prefeitos, secretários de saúde e gestores municipais para conhecer as iniciativas locais e apresentar os detalhes do Plano Nacional de Enfrentamento ao Aedes e à Microcefalia.

De acordo com o ministro da Saúde, Marcelo Castro, o objetivo da caravana é lançar a campanha de combate ao mosquito Aedes aegypti e intensificar as ações para eliminar os criadouros do mosquito em todo o país. “Vamos tentar visitar o máximo de estados possíveis. Temos que combater esse mosquito que está transmitindo doenças da mais alta gravidade, entre elas, o Zika que tem causado a microcefalia. Não temos ainda remédio e nem vacina contra o vírus Zika, por isso, a única forma que temos de controlar essa epidemia é destruindo todos os potenciais criadouros do mosquito. Dois terços dos criadouros estão dentro das residências. Por isso, precisamos que toda a sociedade se mobilize. Caso contrário, não vamos ter sucesso”, ressaltou.

O ministro visitou, ainda, o município de Juazeiro do Norte, também no Ceará, para a inauguração da Unidade Básica de Saúde (UBS) Dra. Maria Selma Lins Tavares Bezerra, e ao Hospital Regional do Cariri.

O Plano Nacional foi lançado pela presidenta Dilma Rousseff e envolve 19 órgãos e instituições federais. O plano é dividido em três eixos de ação: Mobilização e Combate ao Mosquito; Atendimento às Pessoas; e Desenvolvimento Tecnológico, Educação e Pesquisa. Essas medidas emergenciais serão colocadas em prática para intensificar as ações de combate ao mosquito, em uma grande mobilização nacional do governo federal em parceria com estados e municípios.

Para reforçar a orientação à população sobre o combate ao mosquito nas residências, serão realizadas mobilizações com mais de 266 mil agentes comunitários de saúde, 6.188 profissionais das equipes de Atenção Domiciliar/Melhor em Casa, e cerca de 44 mil agentes de endemias para o controle do vetor e eliminação de criadouros. Além das equipes, as Forças Armadas e a Defesa Civil darão apoio logístico para transporte e distribuição de inseticidas e de profissionais de saúde. Os dois órgãos também vão atuar em visitas a residências para eliminação e controle do vetor, além de mobilizações de prevenção como mutirões.

O Ministério da Saúde lançou, recentemente, a campanha nacional de combate ao mosquito Aedes aegypti, que chama a atenção para a importância da limpeza para eliminação dos focos do mosquito da dengue. A campanha tem como slogan “Sábado da faxina. Não dê folga para o mosquito da dengue”. Também haverá campanha informativa para gestantes e mulheres em idade fértil, página na internet e aplicativo de celular com informações sobre microcefalia e vírus Zika.

Na última sexta-feira (15/01), a presidenta Dilma Rousseff sancionou recursos para o desenvolvimento das ações de vigilância em saúde, incluindo o combate ao mosquito Aedes aegypti, em 2016. Os recursos federais destinados ao combate ao mosquito Aedes aegypti cresceram 39% nos últimos anos (2010-2015), passando de R$ 924,1 milhões para R$ 1,29 bilhão. Para 2016, a previsão é de um incremento de R$ 580 milhões, uma vez que o valor chegará a R$ 1,87 bilhão. Além disso, foi aprovado no orçamento um adicional de R$ 500 milhões para o combate ao Aedes.

MICROCEFALIA – O enfrentamento ao vetor é fundamental para o controle do surto de microcefalia que está ocorrendo no país. O novo informe epidemiológico divulgado nessa quarta-feira (20) indica que até 16 de janeiro foram registrados 3.893 casos suspeitos de microcefalia, em 764 municípios de 21 unidades da federação. O boletim aponta o detalhamento dos casos confirmados e descartados. Do total notificado, 224 tiveram confirmação de microcefalia e outros 282 foram descartados. Continuam em investigação 3.381 casos suspeitos de microcefalia. No total, foram notificados 49 óbitos por malformação congênita, cinco deles confirmados para a relação com o vírus Zika, todos na região Nordeste.

O Ministério da Saúde distribuirá 500 mil testes para realizar o diagnóstico de PCR (biologia molecular) para o vírus Zika. Com isso, os laboratórios públicos ampliarão em 20 vezes a capacidade dos exames, passando de mil para 20 mil diagnósticos mensais. As primeiras 250 mil unidades serão entregues, em fevereiro, inicialmente para 27 laboratórios, sendo quatro de referência e 23 Laboratórios Centrais de Saúde Pública (LACEN). A previsão é que os outros 250 mil testes estejam disponíveis a partir do segundo semestre. No total, o Ministério da Saúde investiu R$ 6 milhões para a aquisição dos produtos.

Para a execução das ações do Plano Nacional de Enfrentamento à Microcefalia, foi instalada a Sala Nacional de Coordenação Interagências. Os estados também criarão suas salas, que contarão com representantes do Ministério da Saúde, Secretarias de Saúde, Educação, Segurança Pública (PM e Bombeiros), Assistência Social, Defesa Civil e Forças Armadas.

UNIDADE BÁSICA DE SAÚDE – Em Juazeiro do Norte, o ministro da Saúde, Marcelo Castro, inaugurou a UBS Dra. Maria Selma Lins Tavares Bezerra, que vai beneficiar 4,6 mil pessoas. A Unidade oferecerá serviços de imunização (vacinas e soros), atendimentos a hipertensos e diabéticos, além de assistência especial a crianças menores de dois anos. Também serão disponibilizados testes rápidos de HIV e sífilis, exames preventivos de câncer de colo do útero, consultas pré-natal, entre outros. A participação financeira do Ministério até a conclusão da obra será de R$ 400 mil, que serão aplicados entre a construção e a aquisição de equipamentos.

HOSPITAL REGIONAL DO CARIRI – A agenda do ministro da Saúde no Ceará teve, ainda, uma visita ao Hospital Regional do Cariri, que realiza atendimentos 100% SUS, assistindo uma região de 45 municípios, com aproximadamente 1,5 milhão de pessoas. A unidade abriga a Organização Estadual de Procura de Órgãos e Tecidos e é referência na região em atendimento neurológico, além de prestar assistência em neurocirurgia, cirurgias geral, vascular, plástica reparadora, buco-maxilar (cirurgião dentista), neurologia e ortopedia.

FONTE: Ministério da Saúde
http://www.saude.gov.br

Esta entrada foi publicada em Blog. Adicione o link permanente aos seus favoritos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *