Mutirão de cirurgias começa este sábado em 8 hospitais

No primeiro fim de semana estão previstos 80 procedimentos em 6 especialidades 

A Secretaria Municipal de Saúde (SMS) inicia neste fim de semana, dias 28 e 29 de janeiro, o mutirão de cirurgias para atender as filas internas dos hospitais da rede municipal. Já neste primeiro fim de semana serão realizados 80 procedimentos em oito hospitais da rede com as maiores demandas: Souza Aguiar, Miguel Couto, Salgado Filho, Lourenço Jorge, Albert Schweitzer, Rocha Faria, Ronaldo Gazolla e Jesus, este último especializado em pediatria. Atualmente, 7.669 pessoas aguardam para fazer cirurgias nas filas internas das unidades hospitalares.

O mutirão de cirurgias faz parte da estratégia da Secretaria Municipal de Saúde para reduzir as filas de espera no Sistema de Regulação do município, o SISREG. Com a resolução dos casos que aguardam em filas internas nos hospitais, novas vagas poderão ser abertas pelas unidades para os pacientes cadastrados no SISREG,possibilitando assim agilizar as filas e reduzir o tempo de espera pelos procedimentos. Atualmente, 140.387 pessoas estão no SISREG esperando a oportunidade de realizar algum procedimento na rede pública, seja cirúrgico, consultas ou exames.

Neste primeiro fim de semana as especialidades atendidas serão ortopedia, vascular, geral, otorrinolaringologia, urologia e pediátrica. Cirurgia geral é hoje uma das especialidades com maior fila de espera nos hospitais da rede, com 983 pessoas aguardando a oportunidade de serem operadas. Na fila por um procedimento em cirurgia pediátrica estão 362 crianças; para ortopedia, 362 pacientes; para cirurgia em otorrinolaringologia, 306; para urologia, 128; e para vascular, 105. Todos são procedimentos eletivos, ou seja, não emergenciais e que, normalmente, são operados na rotina dos hospitais, de segunda a sexta-feira, no primeiro e segundo turnos (manhã e tarde).

As cirurgias serão realizadas pelos corpos clínicos próprios dos hospitais envolvidos. Os horários dos profissionais foram ajustados para suprir as escalas do sábado e do domingo, quando normalmente não são realizadas cirurgias eletivas e o número o número de funcionários atuando é menor. Mais de 100 profissionais, entre médicos, enfermeiros e técnicos de enfermagem, instrumentadores, entre outros estarão envolvidos no mutirão nos oito hospitais. Todas as salas de cirurgia disponíveis nas unidades envolvidas serão utilizadas, respeitando-se, nos hospitais de urgência e emergência, a reserva necessária para os casos de emergência que cheguem durante o plantão e precisem entrar imediatamente em cirurgia.

No Hospital Municipal Jesus, por exemplo, que é uma unidade especializada e sem atendimento de emergência, as cirurgias são normalmente realizadas apenas na rotina, de segunda a sexta-feira. Durante o mutirão, estão previstas 11 cirurgias de otorrinolaringologia no sábado e dez cirurgias pediátricas no domingo. Quatro salas do centro cirúrgico serão usadas e 22 profissionais estarão envolvidos. As crianças deverão chegar à unidade para a internação no sábado entre 6h30 e 7h. As famílias já foram contatadas e estão orientadas sobre a preparação necessária.

Pelo planejamento da Secretaria Municipal de Saúde, nos próximos fins de semanas outras especialidades cirúrgicas e outros hospitais da rede serão incluídos no mutirão. Inicialmente, as cirurgias extras ocorrerão apenas aos sábados e domingos, mas a previsão é de que, tão logo novos profissionais concursados sejam empossados e comecem a trabalhar, o mutirão seja estendido também para o terceiro turno (horário da noite) dos dias úteis. A Prefeitura do Rio já autorizou a convocação de 518 profissionais de saúde aprovados no último concurso público, realizado em 2013. Serão chamados 124 enfermeiros, 314 técnicos de enfermagem, 40 de radiologia e 40 de laboratório.

Outras medidas –

Além do mutirão de cirurgias, a estratégia para reduzir as filas de espera do Sistema de Regulação do município – uma das metas do prefeito Marcelo Crivella – conta com outras medidas que vêm sendo adotadas internamente pela Secretaria Municipal de Saúde e em parceria com outras redes e com o Ministério da Saúde. Com os esforços concentrados desde o início do ano, a nova gestão da SMS já conseguiu abrir vagas e acelerar a realização de procedimentos, com um impacto de 5,8% de redução na fila de cinco dos serviços com maior demanda. Estão sendo feitos ordenamentos das filas e agendas de hospitais da rede própria e novas parcerias com hospitais universitários e federais. Com isso, foi possível o aumento da oferta de serviços em unidades como o Hospital Municipal Ronaldo Gazolla, em Acari, e os hospitais universitários Gaffrée e Guinle, da Unirio, e São Francisco de Assis, da UFRJ.

Como resultado desses esforços, entre os dias 2 e 18 de janeiro, 303 pacientes puderam realizar consulta em odontologia, com indicação para cirurgia, o que significa uma queda de 0,5% em relação ao total de espera das 12 filas; e 133 pacientes foram atendidos em consultas dermatológicas, uma redução de 2% desse total. Sobre a fila de exames, no mesmo período houve redução em três dos dez procedimentos listados: endoscopia digestiva alta, colonoscopia e ultrassonografia de mamas bilaterais, totalizando 1.264 pessoas atendidas, uma redução de 5% sobre o total de 25.327.

FONTE: Prefeitura Municipal do Rio de Janeiro
http://www.rio.rj.gov.br/web/smsdc

Esta entrada foi publicada em Blog e marcada com a tag , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , . Adicione o link permanente aos seus favoritos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *