Nasce Guilherme, filho da paciente encaminhada pelo Gabinete Itinerante ao Hospital da Mulher

b_800_600_0_00_images_stories_ASCOM_Edilaine_e_Guilherme_copia2Edilaine Mendes e o marido Saulo da Silva vivem um momento especial com a chegada do primeiro filho. Moradora de Duque de Caxias, ela acaba de dar à luz Guilherme, com 2,6 kg e 43 cm. No início de maio, quando estava na 35º semana de gestação, Edilaine esteve no Gabinete Itinerante do Governo do Estado, após receber indicação da médica com quem fazia o pré-natal em uma clínica particular para procurar uma unidade de saúde especializada no atendimento de gestação de alto risco, já que apresentava um quadro de hipertensão.

A gestante de 23 anos, que trabalha como auxiliar de vendas, foi encaminhada ao Hospital Estadual da Mulher Heloneida Studart (HMHS), em São João de Meriti, onde passou por consultas, exames e foi acompanhada por multiprofissionais especializados até a realização do parto cesáreo, levando em consideração o estado de saúde da mãe e do bebê.

– Estou muito feliz com o nascimento do meu filho. Guilherme e eu estamos saudáveis e fico agradecida porque fomos muito bem atendidos em um hospital que conta com todos os recursos para receber casos de gestação de risco e está localizado na Baixada. Isso trouxe tranquilidade para toda a minha família – diz a nova mamãe.

Edilaine foi orientada a amamentar desde as primeiras horas após o parto e recebeu instruções sobre os cuidados com o bebê. Na unidade, Guilherme realizou os testes do pezinho, orelhinha e coraçãozinho, que detecta problemas no coração do recém-nascido antes de aparecerem os sintomas.

Saulo, emocionado com a chegada do 1º filho, faz planos:

– Agora quero levar meu filho e minha esposa para casa e esperar ele crescer um pouco para jogarmos bola juntos – brinca o pai.  

Sobre o hospital – O HMHS é referência no atendimento de gestantes e bebês de alto risco e dispõe de multiprofissionais altamente especializados, além da infraestrutura necessária para o atendimento destes pacientes. São 59 leitos de Unidade de Terapia Intensiva (UTI) Adulto e Neonatal e Unidade Intermediária (UI) Neonatal. O hospital conta ainda com a Casa da Mãe, espaço onde as puérperas ficam hospedadas caso seu bebê precise permanecer internado na UTI ou UI. O espaço tem capacidade para receber 15 mulheres que morem longe da unidade ou em lugares de difícil acesso, permitindo que essas mães fiquem próximas dos filhos internados, garantindo, com isso, o contato e o aleitamento tão importantes na recuperação dos recém-nascidos. O HEMHS também oferece serviços relacionados à saúde da mulher como atendimento de Ginecologia, Mastologia, Clínica Médica, Cardiologia, Psicologia, Odontologia e Nutrição. São cerca de 8 mil atendimentos e 400 partos por mês. 

Certificação – O Hospital da Mulher foi a primeira unidade de saúde da rede pública estadual a receber certificação de segurança no Centro Cirúrgico e pela terceira vez consecutiva na Central de Material Esterilizado, o Certificado Target Zero na Categoria Diamante, em dezembro de 2013. Esta conquista é resultado da conformidade adquirida em 102 itens avaliados pela 3M do Brasil nos dois locais e segue critérios nacionais e internacionais de validação. Com uma média de 450 cirurgias realizadas mensalmente, a certificação traz mais segurança nos procedimentos cirúrgicos, investimento na qualificação dos profissionais e no atendimento, com reorganização do fluxo a partir da adequação aos critérios estabelecidos durante o processo.

Gestão – Desde abril de 2012, a Secretaria de Estado de Saúde (SES) vem reorientando o modelo de gestão e atenção à saúde no Estado do Rio de Janeiro no intuito de melhorar a prestação dos serviços e a satisfação do usuário. A implementação dessa nova forma de administração tem como objetivos reduzir custo, melhorar a gestão e garantir um atendimento de qualidade à população. O Hospital da Mulher passou a ser gerenciado pela Organização Social de Saúde Hospital e Maternidade Therezinha de Jesus (OSS HMTJ), fornecendo todos os recursos humanos e materiais necessários ao adequado funcionamento do hospital dentro dos parâmetros e diretrizes estabelecidos pela Secretaria.

FONTE: Governo do Estado do Rio de Janeiro
http://www.saude.rj.gov.br

Esta entrada foi publicada em Blog. Adicione o link permanente aos seus favoritos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *