Nos anos 1970, os profissionais se organizam, ganham experiência e aumentam a pressão pela regulamentação das técnicas radiológicas no Brasil

thumbnail_1415200942Após a criação das sociedades científicas em São Paulo, Rio de Janeiro, Bahia e Rio Grande do Sul, entre os anos 1950 e 60, os profissionais das técnicas radiológicas do Paraná, Minas Gerais e Santa Catarina também se organizam em instituições. As lideranças mantinham contato entre si e ajudavam a promover a organização da classe nas demais regiões. Era uma rede complexa, com ramificações em todas as capitais do Brasil. Em 1965, contra todas as dificuldades, conseguem realizar o 1º Congresso Nacional de Técnicos em Radiologia.

Esse encontro científico teve desdobramentos. Em 1966, as sociedades científicas estaduais entram em acordo e fundam a Federação das Associações dos Técnicos em Radiologia do Brasil (FATREB). Tem início um novo ciclo de desenvolvimento.

Em 1971, a FATREB aprova o primeiro Código de Ética da classe. Dois anos mais tarde, depois de consolidar seus eventos nacionais, filia-se à International Society Of Radiographers and Radiological Technicians (ISRRT), em Madrid. Os técnicos brasileiros entram no circuito mundial, trocam experiências com profissionais de todo o mundo e colocam o nome da classe no mapa da Radiologia.

De 3 a 7 de novembro de 1976, aconteceu em São Paulo o IV Congresso Brasileiro de Técnicos em Radiologia. Em Brasília, tramitava um projeto de lei para organizar as atividades profissionais da categoria. Crescia o movimento pela regulamentação da profissão.

FONTE: CONTER
http://www.conter.gov.br

Esta entrada foi publicada em Blog. Adicione o link permanente aos seus favoritos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *