Operação Sorriso seleciona para cirurgias gratuitas no Rio de Janeiro

Até sexta, interessados podem se cadastrar para uma das 100 vagas de cirurgias gratuitas em pacientes com fissuras labiopalatinas

A ONG Operação Sorriso começou na manhã desta quinta-feira, dia 31 de maio, a seleção de pacientes portadores de fissuras labiopalatinas (conhecidas também como lábio lascado, lábio leporino, fenda palatina ou goela de lobo), que farão cirurgias corretivas gratuitas no Rio de Janeiro.  A ONG reúne médicos voluntários de diversos países e o grupo que está no estado é composto por 179 profissionais. A seleção dos pacientes será realizada até sexta-feira (1º) na Policlínica Piquet Carneiro (que fica na Avenida Marechal Rondon, 381 – São Francisco Xavier-RJ).

As cirurgias acontecerão entre os dias 4 e 8 de junho no Hospital Universitário Pedro Ernesto (Avenida 28 de setembro, 77 – Vila Isabel). Para participar não é necessário fazer pré-inscrição, apenas comparecer ao local nos dias indicados levando documentos. Pacientes e mais um familiar que residam fora do município podem solicitar no dia da seleção hospedagem gratuita, oferecida pela Marinha do Brasil. A ONG oferece também transporte até o hospital e alimentação sem custo.

O diretor médico para a América do Sul da Operação Sorriso, Lucio Auler, é voluntário há dez anos, já participou de 60 missões e fala sobre a importância que a cirurgia tem na melhoria da qualidade de vida dos pacientes.

– A criança portadora de fissuras labiopalatinas vive à margem da sociedade porque sente vergonha da sua alteração física e dificuldade para falar e comer. Depois de fazer a cirurgia, o paciente tem a oportunidade de ir para a escola, voltar a brincar e ter convívio com seus familiares. O que fazemos na Operação Sorriso é oferecer nosso tempo e conhecimento para ajudar pessoas que não podem pagar por esse procedimento – explica Lucio, que tem especialização em anestesia.

Os colaboradores envolvidos na missão do Rio de Janeiro pertencem a diferentes especialidades como cirurgia plástica, enfermagem, anestesia, psicologia, ortodontia, fonoaudiologia, pediatria, etc. A ideia é operar e capacitar centros locais. As crianças que não forem atendidas serão encaminhadas para o serviço local, atingindo a população com resultados mais permanentes. O programa humanitário é realizado em parceria com a Secretaria de Estado de Saúde, Policlínica Piquet Carneiro, Hospital Universitário Pedro Ernesto e Marinha do Brasil.

A Operação Sorriso conta também com apoio da Rede Globo de Televisão, Associação Brasileira de Cirurgia Crânio-Maxilo Facial (ABCCMF), Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica (SBCP), Projeto Genoma Humano/USP, Rio Solidário, Loterj e com o patrocínio das empresas Colgate, Ethicon Johnson&Johnson, F/Nazca, Abbott, Bionexo, Comerc, Pepsi, Hasbro.

Alexandro de Almeida e Valéria Cantamissa moram em Itaguaí, na Região Metropolitana do Rio, e trouxeram o filho Bernardo, de dois meses, para ser avaliado e, se estiver em condições adequadas de saúde, fazer a cirurgia.

– Quando minha mulher estava grávida de seis meses, recebemos a notícia de que ele tinha fissura no lábio. Desde então, procuramos pesquisar sobre o assunto e descobrimos o trabalho da ONG Operação Sorriso. Quero que meu filho faça a cirurgia logo para evitar problemas na fala. O meu desejo é que ele cresça bem, feliz e saudável – afirma Alexandro.

O que é fissura labiopalatina? O lábio fissurado, ou fenda palatina, é uma abertura no lábio, palato ou tecido mole da parte posterior da boca. A causa exata desse problema ainda é desconhecida, mas esse é um problema congênito em uma etapa inicial do desenvolvimento do embrião.

As consequências da fissura labiopalatal na vida de uma criança vão além da estética e podem causar problemas auditivos, infecções crônicas, má nutrição, má formação da dentição e dificuldades no desenvolvimento da fala. Frequentemente observa-se o abandono escolar e a baixa da autoestima, ocasionando também problemas psicológicos.

Segundo a Organização Mundial de Saúde, a incidência de fissuras no Brasil é de 1 a cada 650 nascimentos, indicando a existência de cerca de 300 mil pessoas vivendo com o problema no Brasil. Desses casos, 1 a cada 10 com fenda palatina não completará o primeiro ano de vida, segundo a pesquisa.

A cirurgia é relativamente rápida. Em média, tem duração de 45 minutos e, na manhã após a cirurgia, o paciente já está liberado para retornar para casa.

Sobre a Operação Sorriso – A Operação Sorriso é a maior organização mundial dedicada exclusivamente a crianças portadoras de deformidades faciais, com atuação em 60 países, e mais de 200.000 crianças operadas. No Brasil, as ações tiveram início em 1997 e já foram realizados mais de 73.000 exames e avaliações especializadas e mais de 5 mil cirurgias em 10 estados brasileiros. Estes atendimentos refletem milhares de histórias de superação, dedicação e amor ao próximo.

Em 2011 foram realizados mais de 4 mil exames multidisciplinares especializados para crianças das regiões Norte, Nordeste e Sudeste do país, sendo realizadas 339 cirurgias e 10 programas pós-operatórios, devolvendo a dignidade, funcionalidade e autoestima para 471 crianças. Também foram realizados três programas de treinamento para 88 profissionais de saúde dessas regiões.

A organização atua de forma independente e transparente, mantendo completa responsabilidade na coordenação dos programas, levantamento de fundos e estabelecimento de acordos com instituições e empresas parceiras. Balanços financeiros estão disponíveis no site.

Mais informações podem ser obtidas por meio do telefone (21) 7979-5870 ou http://www.operacaosorriso.org.br.


FONTE: Governo do Estado do Rio de Janeiro
Esta entrada foi publicada em Blog. Adicione o link permanente aos seus favoritos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *