Outubro Rosa: caminhada marca campanha de prevenção ao câncer de mama em Teresópolis

DSC_1929Uma caminhada de sensibilização realizada na tarde desta sexta, 25, no centro da cidade, marcou a adesão de Teresópolis ao Outubro Rosa, campanha mundial de mobilização sobre a importância da prevenção e do diagnóstico precoce do câncer de mama, o mais comum entre as mulheres. Iniciativa das secretarias municipais dos Direitos da Mulher e de Saúde, a ação reuniu um grupo de 50 estudantes dos cursos de técnico de enfermagem do Senac e da Escola Espaço e Saúde, sob a coordenação da Divisão de Programa de Saúde.

Tendo como ponto de encontro uma tenda montada na Praça Balthasar da Silveira – a da Matriz de Santa Teresa, na Várzea, os voluntários, identificados com a camisa da campanha, percorreram as ruas Duque de Caxias e Francisco Sá (Calçada da Fama) e também a Avenida J. J. de Araújo Regadas (Parque Regadas), no centro comercial, distribuindo folders sobre prevenção e detecção precoce do câncer de mama. Para abranger um número expressivo de pessoas, a Secretaria dos Direitos da Mulher confeccionou três mil folhetos explicativos. As pessoas com dúvidas sobre atendimento na rede pública de saúde eram encaminhadas para obter esclarecimento com a equipe coordenadora, de plantão na tenda da mobilização.

“É um alerta às mulheres, pois da mesma maneira que elas cuidam da sua beleza, por que não cuidar também da sua saúde, do seu interior? Pois quando se previne o câncer de mama, existe a possibilidade de 90% de cura, quando é detectado precocemente. Esse é o motivo dessa mobilização”, assinalou a médica Maria da Conceição Monteiro Salomão, coordenadora da Divisão de Programas de Saúde, da Secretaria de Saúde.

Conceição Salomão orienta: as mulheres devem se habituar a fazer anualmente o exame clínico das mamas, da mesma forma que realizam o exame preventivo ginecológico para a detecção do câncer do colo de útero. “Elas devem aproveitar sempre o momento da sua consulta para que o médico faça o exame clínico das mamas. E as nossas unidades de saúde estão preparadas para fazer o exame clínico das mamas”.

As mulheres aprovaram a realização da campanha de prevenção. “É muito importante as mulheres terem acesso à informação, além de orientação médica sobre vários assuntos nessa área. Inclusive sobre reposição hormonal, para esclarecer se há relação entre esse tipo de tratamento e a ocorrência do câncer de mama”, opinou a artesã Laura Ribeiro Camacho Medeiros, cuja mãe, de 69 anos, teve a doença. “Essa campanha é necessária para as mulheres manterem a saúde, e também para os homens terem mais respeito com a identidade feminina”, completou a massoterapeuta Katarine LaArte.

Câncer de mama

É uma doença que acomete mais as mulheres. São fatores de risco a idade avançada, a exposição prolongada aos hormônios femininos, o excesso de peso e a história familiar ou de mutação genética. Estão também mais propensas a desenvolver a doença por causa da longa exposição aos hormônios femininos, as mulheres que não tiveram filhos ou tiveram o primeiro filho após os 35 anos, não amamentaram, fizeram uso de reposição hormonal (principalmente com estrogênio e progesterona associados), menstruaram muito cedo (antes dos 12 anos) e entraram mais tarde na menopausa (acima dos 50 anos). No entanto, há casos de mulheres que desenvolvem a doença sem apresentar fatores de risco identificáveis.

Sintomas – Em geral, o primeiro sinal da doença costuma ser a presença de um nódulo único, não doloroso e endurecido na mama. Outros sintomas, porém, devem ser considerados, como a deformidade e/ou aumento da mama, a retração da pele ou do mamilo, os gânglios axilares aumentados, vermelhidão, edema, dor e a presença de líquido nos mamilos.

Diagnóstico – A mamografia (raios-X das mamas) é o exame mais indicado para detectar precocemente a presença de nódulos nas mamas. O exame clínico e outros exames de imagem e laboratoriais também auxiliam a estabelecer o diagnóstico de certeza. Apesar de a maioria dos nódulos de mama ter características benignas, para afastar qualquer erro de diagnóstico, deve ser solicitada uma biópsia para definir se a lesão é maligna ou não, e seu estadiamento (análise das características e da extensão do tumor).

Tratamento – As formas de tratamento variam conforme o tipo e o estadiamento do câncer. Os mais indicados são: quimioterapia (uso de medicamentos para matar as células malignas), radioterapia (radiação), hormonoterapia (medicação que bloqueia a ação dos hormônios femininos) e cirurgia, que pode incluir a remoção do tumor ou mastectomia (retirada completa da mama). O tratamento pode, ainda, incluir a combinação de dois ou mais recursos terapêuticos.

Recomendações

* Faça o autoexame das mamas mensalmente, de preferência no sétimo ou oitavo dias após o início da menstruação, se você é mulher e tem mais de 20 anos, pois cerca de 90% dos tumores  são detectados pela própria paciente;

* Procure o médico para submeter-se ao exame das mamas a cada dois ou três anos, se está entre 20 e 40 anos; acima dos 40 anos, realize o exame anualmente;

* Não se esqueça de que a mamografia deve ser realizada todos os anos;

* Atenção: embora menos comum, o câncer de mama também pode atingir os homens. Portanto, especialmente depois dos 50 anos, eles não podem desconsiderar sinais da doença, como nódulo não doloroso abaixo da aréola, retração de tecidos, ulceração e presença de líquido nos mamilos.

(Fonte: www.drauziovarella.com.br).

FONTE: Prefeitura Municipal de Teresópolis
http://www.teresopolis.rj.gov.br

Esta entrada foi publicada em Blog. Adicione o link permanente aos seus favoritos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *