Plano de Ação em Saúde durante a Copa é apresentado a mais profissionais da área

Na tarde desta terça-feira, 27, outro grupo de profissionais da área de saúde pública reuniu-se no auditório da Secretaria Municipal de Saúde, na Tijuca, para mais uma apresentação do Plano Operativo de Saúde de Teresópolis para a Copa do Mundo 2014. O objetivo é esquematizar as ações em eventos de massa antes, durante e após o Mundial.

Desta vez, o grupo reuniu funcionários da UPA (Unidade de Pronto Atendimento), da Feso (Fundação Educacional serra dos Órgãos), dos hospitais da cidade e ainda da rede municipal. Desde a semana passada, dirigentes da Secretaria vêm expondo o plano de ação integrada a todos os funcionários da rede pública de saúde do município.

Segundo Adriana Chaves, diretora em Vigilância em Saúde, cada município que recebe uma delegação precisa apresentar um Plano de Ação em Saúde para o período da Copa, de 12 de junho a 13 de julho. A atenção em saúde está sendo organizada para garantir retaguarda assistencial, com apoio da Secretaria Estadual de Saúde, para gerenciamento e ordenamento do fluxo de atendimento. Nas ações está prevista a integração com a Vigilância em Saúde, possibilitando uma resposta adequada em casos de emergência em saúde pública.

“Sendo Teresópolis a casa da Seleção Brasileira de Futebol, isso implica num grande número de turistas e profissionais de imprensa de diversos países. Precisamos estar preparados. Na última semana, apresentamos o plano para todos os técnicos da Secretaria de Saúde, agora a reunião está sendo ampliada para os hospitais, os núcleos de vigilância hospitalar, a cogestão da Feso, que cuida das unidades de PSFs, e a UPA. Já a próxima será para ouvi-los em suas demandas, de maneira que possamos apresentar respostas oportunas. Toda a rede de atenção em saúde está envolvida”, disse Adriana Chaves.

De acordo com o responsável pela Vigilância Epidemiológica, Dr. Daniel Hernandez, a finalidade do plano é centralizar tudo em um único ponto e entrosar todas as unidades de saúde. “Temos que centralizar tudo na Secretaria de Saúde, de forma que possamos continuar fazendo o trabalho de rotina e também atender bem os que vêm de fora. Estamos reprisando essas informações semanalmente, porque isto tem que ficar gravado na cabeça dos profissionais. A rotina será mantida, mas durante os finais de semana haverá equipes de plantão”, enfatizou Hernandez.

O plano estabelece as seguintes ações:

  • Garantir a divulgação da localização das unidades de saúde sob a gestão da Secretaria Municipal de Saúde:
  • Monitorar com a direção das unidades assistenciais o acesso, atendimento e o fluxo dos pacientes oriundos do evento;
  • Manter estoque pleno de insumos estratégicos de saúde  e medicamentos nas unidades de saúde.
  • Manter estoque do medicamento Oseltamivir (de combate à gripe), garantindo o amplo acesso de acordo com o preconizado nas normativas do Ministério da Saúde.
  • Manter hospitais e unidades de Urgências/Emergências de prontidão durante os eventos com aglomeração de público;
  • Manter canal de comunicação entre as Vigilâncias em Saúde, a rede e as vigilâncias hospitalares;
  • Manter o fluxo de atendimento para demanda espontânea e pacientes oriundos do evento;
  • Monitorar a demanda espontânea de turistas e/ou aumento da rotina de pacientes atendidos na Unidade de Pronto Atendimento (UPA);
  • Acompanhar as transferências dos pacientes que necessitarem;
  • Organizar e prever a necessidade de hemoderivados para a rede de Urgência/Emergência;
  • Divulgar censo de atendimentos oriundos do evento.

Também ficaram estabelecidas estratégias pós-evento, como:

  • Manter os profissionais das unidades de saúde em estado de alerta até 30 dias após o encerramento do evento para garantir a detecção, notificação oportuna e apoio no desenvolvimento das ações de investigação e controle de doenças relacionadas ao evento;
  • Manter o monitoramento de casos nas unidades de saúde. Produzir consolidado com as principais ações e resultados e divulgar para todos os profissionais envolvidos direta ou indiretamente no evento;
  • Realizar oficina com as equipes da Vigilância em Saúde para avaliação das ações e revisão do planejamento para os próximos eventos.
tereAdriana Chaves, diretora em Vigilância em Saúde, e Dr. Daniel Hernandez, responsável pela Vigilância Epidemiológica

FONTE: Prefeitura Municipal de Teresópolis
http://www.teresopolis.rj.gov.br

Esta entrada foi publicada em Blog. Adicione o link permanente aos seus favoritos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *