Prefeitura faz campanha de combate à dengue na Calçada da Fama

Agentes de saúde intensificam a prevenção em espaços públicos
Teresópolis, 5 de março de 2012 – Nesta segunda-feira, 5, equipe da Vigilância Ambiental e integrantes do Programa Municipal de Combate à Dengue, da Secretaria de Saúde, deram início à intensificação da campanha de combate ao Aedes aegypti, o mosquito transmissor da dengue. “Além das ações de rotina, a meta é visitar um bairro da cidade por semana a partir deste mês de março, permanecendo no local durante o dia para intensificar as ações de esclarecimento aos moradores sobre a prevenção da doença, inclusive com distribuição de folhetos explicativos da campanha ’10 minutos contra a dengue’, da Secretaria Estadual de Saúde”, esclareceu o Coordenador da Vigilância Ambiental da Secretaria de Saúde, Alonso de Faria, informando que o cronograma dos próximos locais a serem visitados está sendo definido.
Nesta segunda, os agentes de saúde montaram uma tenda na Calçada da Fama, na Várzea, com o objetivo de orientar a população sobre a importância das ações de prevenção à doença. Um mural com cartazes e folhetos explicativos foram os materiais utilizados para auxiliar a conscientização das pessoas abordadas, que também puderam identificar as características físicas do Aedes aegypti através de um microscópio.
Marcos Reimol, funcionário do Ministério da Saúde e cedido pelo convênio SUS à Secretaria de Saúde de Teresópolis, alerta: o município já tem registrados casos de pessoas com dengue e que adquiriram a doença na própria cidade. “O mosquito dá preferência a ficar no hábitat dele, que é a mata. Porém, com o crescimento da população e o desmatamento, bem como a mudança do clima e o aumento gradativo da temperatura, para sobreviver o inseto vem se adaptando e passando a viver no meio da população. Por conta disso, hoje o Aedes aegypti já pode ser encontrado em Teresópolis”, alertou.
De acordo com o agente de saúde Carlos Lessa, em 2011 foram realizadas visitas técnicas em locais estratégicos do município, como prédios públicos, comércios, indústrias e oficinas mecânicas. “Encontramos criadouros com larvas do mosquito em seis bairros da cidade”, ressaltou, acrescentando que os agentes providenciaram a erradicação dos focos e colheram amostras para análise em laboratório.
A população aprovou a campanha de esclarecimento, como o fotógrafo Arnaldo Barbosa. “Na minha casa não tem água parada. A gente tem que agir de acordo com as orientações. Cada um tem que fazer a sua obrigação, pois assim fica mais fácil combater a dengue”, opinou. O servidor público aposentado Ney de Oliveira Rego concordou. “Prevenção é tudo, e essa conscientização é muito importante para prevenir certas doenças, como a dengue”, completou. A aposentada Marlene Cordeiro de Almada também aprovou a campanha realizada pela Secretaria de Saúde na Calçada da Fama. “Sei o que devo fazer porque o agente de saúde explicou. Quando junta água na laje da minha casa eu logo tiro”, contou.
De acordo com Cláudia Ferreira de Carvalho, responsável pelo setor de educação em saúde da Vigilância Ambiental, durante a campanha sobre a dengue, a população também está sendo informada sobre o trabalho prestado pelo setor de Zoonoses da Secretaria de Saúde, como o combate a roedores e à proliferação de pombos, por exemplo. “Basta entrar em contato com a Secretaria de Saúde informando o endereço que a nossa equipe vai ao local para averiguar e instruir a pessoa que nos acionou”, afirmou. O telefone da Vigilância Ambiental é (21) 2742-7272 begin_of_the_skype_highlighting            (21) 2742-7272      end_of_the_skype_highlighting, ramal 210.
‘10 minutos contra a dengue’
O folheto explicativo ‘10 minutos contra a dengue’, distribuído pela Secretaria de Estado de Saúde aos municípios, ensina que as pessoas levam apenas dez minutos por semana para fazer uma checagem rápida em sua casa ou local de trabalho a fim de evitar a proliferação do mosquito transmissor da dengue.
O material alerta ainda que o ciclo de vida do mosquito da dengue, do ovo até a fase adulta, leva cerca de sete a dez dias. Se a verificação e a eliminação dos criadouros forem realizadas uma vez por semana, é possível interromper o ciclo e evitar o nascimento de novos mosquitos.
As orientações que devem ser seguidas são as seguintes: caixas d’água tampadas; calhas limpas; tonéis, poços e barris bem vedados; pneus sem água e em lugares cobertos; bandejas de geladeiras e de ar-condicionado limpas e sem água; pratos de vasos de planta com areia até a borda; bromélias e outras plantas sem acúmulo de água; vasos sanitários sem uso sempre fechados; baldes virados com a boca para baixo; lonas de cobertura bem esticadas para não formar poças e piscinas e fontes sempre tratadas.

Agente de saúde Elmar Duarte orienta o servidor público aposentado Ney de Oliveira Rego sobre a importância de combater o mosquito transmissor da dengue

Fotógrafo Arnaldo Barbosa recebe folheto explicativo da campanha contra a dengue de Cláudia Ferreira de Carvalho, responsável pela educação em saúde da Vigilância Ambiental

Agente de saúde Marcos Reimol conscientiza a aposentada Marlene Cordeiro de Almada na campanha de combate à dengue

Público adere à campanha de combate à dengue na Calçada da Fama

FONTE: Prefeitura Municipal de Teresópolis

Esta entrada foi publicada em Blog. Adicione o link permanente aos seus favoritos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *