Prefeitura Opera Gratuitamente Pacientes com Lábio Leporino

Hospital Municipal N.S. do Loreto, na Ilha do Governador, que completa 60 anos nesta semana, é referência no Estado do Rio e recebe novos pacientes o ano todo

O Hospital Municipal Nossa Senhora do Loreto (HMNSL) é o único centro de referência para cirurgia de lábio leporino credenciado pelo Ministério da Saúde no Estado do Rio. Anualmente, são realizadas entre 350 a 400 cirurgias de correção, e a unidade oferece, gratuitamente, tratamento integral ao paciente até o final da adolescência, incluindo serviço de ortodontia (aparelho), fonoaudiologia, psicologia e cirurgia plástica. Desde abril, a unidade conta com novo polo de audiologia, que passou por reformas e atende a cerca de 120 pacientes por mês.

O hospital aceita novos pacientes durante o ano todo, e é o que mais faz cirurgias pediátricas e de otorrino dentro da faixa etária (criança e adolescentes), em todo o Estado do Rio. Do total de pacientes, cerca de 50% são de outras cidades. O hospital fica na Estrada do Caricó, 26, Ilha do Governador, e atende também clientes de outros estados.

O diagnóstico precoce de lábio leporino é muito importante para o início do tratamento já nos primeiros dias de vida, quando o bebê passa a ser acompanhado por uma equipe multidisciplinar, no serviço de Acolhimento Mãe-Bebê. A partir da 21ª semana já é possível, por meio de ultrassom morfológica, diagnosticar o problema. Em geral, o paciente passa por uma série de cirurgias, sendo a primeira realizada entre o 5º e 6º mês (mínimo de 6 quilos), aumentando a chance de sucesso e evitando que a criança cresça com traumas por causa do problema. Depois da cirurgia de correção, o bebê tem acompanhamento permanente de várias especialidades.

A unidade realiza, em média, cerca de 900 cirurgias por ano, sendo 400 de fissuras labiopalatais, além de 43 mil atendimentos ambulatoriais. Entre as especialidades estão pediatria, hematologia, dermatologia, otorrinolaringologia, fisioterapia, terapia ocupacional, nutrição, cirurgia plástica, cirurgia pediatria, odontologia/ortodontia, e cirurgia buco-maxilo-facial.

Recentemente, o hospital passou a oferecer também próteses de fala, para pacientes que não conseguem recuperar plenamente a fala após as cirurgias. Além da assistência médica, odontológica e psicológica, a unidade também oferece suporte social aos mais necessitados, e programas de geração de renda para os familiares.

As crianças participam do Projeto Bonecos Terapêuticos que oferece, de maneira bem humorada e em linguagem compreensível, informações sobre a doença que elas têm e de que maneira serão tratadas.

Novo polo de audiologia
Estima-se que cerca de 25% dos pacientes com fissuras labiopalatais apresentem também uma redução na acuidade auditiva secundária à disfunção da tuba auditiva e às alterações do palato.

Com o objetivo de fazer o diagnóstico precoce, foi montado o polo de Audiologia na unidade, que será capaz de avaliar 120 pacientes por mês. Com o diagnóstico realizado o tratamento poderá ser implementada de forma eficaz, trazendo a resolução do déficit auditivo. As crianças então com a audição recuperada passam a ter sua capacidade de desenvolvimento intelectual e cognitivo restabelecida.

O tratamento pode incluir cirurgia, que é feita na própria unidade, que conta com centro cirúrgico com equipamentos especiais para o procedimento, além de equipe de profissionais treinada (médicos otorrinolaringologistas, anestesiologistas e pessoal de enfermagem).

Bonecos Terapêuticos
As crianças que utilizam os serviços do HMNSL são beneficiadas por um projeto pioneiro e criativo que alivia o estresse causado pelo período pré-cirúrgico. Os Bonecos Terapêuticos beneficiam os pequenos pacientes com reuniões nas quais as crianças são informadas, de maneira bem humorada e em linguagem compreensível, sobre a doença que elas têm e de que maneira serão tratadas.

Os bonecos foram elaborados e adaptados de acordo com a necessidade e possibilidade de criação. Eles tomam soro, tiram sangue e fazem várias cirurgias. E possuem também um sapato mágico que os protege de todo o mal (as sapatilhas cirúrgicas).

Sobre a fissura labiopalatal
No Brasil, estima-se que a cada 600 nascimentos, uma criança nasce com fissura labiopalatal. O risco aumenta quando há uma predisposição genética da mãe associada a fatores ambientais como o uso de álcool ou cigarros, ingestão de alguns tipos de medicamentos, deficiências nutricionais e infecções, durante o primeiro trimestre gestacional, o que tem sido relacionado a 70% dos casos. E a hereditariedade está relacionada aos 30% restantes.

Doenças congênitas, lábio fissurado é abertura no lábio e a fenda palatal é um orifício no palato ou tecido mole da parte posterior da boca. O primeiro pode estar acompanhado por uma abertura nos ossos da mandíbula e/ou na gengiva superior; o segundo acontece quando duas partes do palato não se unem, deixando um buraco. O lábio fissurado e a fenda palatina podem ocorrer em um ou nos dois lados e o paciente pode apresentar ambas as doenças.

As consequências relacionadas a essas doenças vão além da estética e de problemas emocionais, já que as crianças podem vir a ter complicações auditivas, infecções crônicas, má-nutrição, problemas na dentição e dificuldades no desenvolvimento da fala.

FONTE: Prefeitura Municipal do Rio de Janeiro
Esta entrada foi publicada em Blog. Adicione o link permanente aos seus favoritos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *