Programas de Saúde Coletiva do PAM de Cavalcanti oferecem bem-estar, prevenção e cidadania

Mais de 10 mil pessoas foram beneficiadas no ano passado na unidade da Secretaria de Estado de Saúde. Um dos programas de destaque ajuda quem quer parar de fumar

A área construída é de 522 metros quadrados. Mas a abrangência do Posto de Atendimento Médico (PAM) de Cavalcanti vai muito além da sua área física. Mais do que atendimento em saúde nas especialidades de Alergologia, Cardiologia, Clínica Médica, Clínica do Adolescente, Dermatologia, Endocrinologia, Ginecologia, Homeopatia, Nutrição, Odontologia, Pediatria, Pré-Natal, Psicologia, Puericultura e Reumatologia, a unidade da Secretaria de Estado de Saúde leva cidadania a moradores da cidade do Rio de Janeiro e até mesmo a pacientes residentes em municípios distantes da capital. Além das consultas ambulatoriais diárias, a unidade oferece sete programas de saúde coletiva, que ajudam a prevenir doenças ou a tornar a vida das pessoas mais tranquila. Algumas delas: Controle do Tabagismo, Planejamento Familiar, Prevenção em DST/Aids, Grupo de Hipertensão, Acolhimento Mãe-Bebê, Vigilância Nutricional na Infância e na Adolescência.

No ano passado, 10.395 pessoas foram atendidas somente nessas ações, um crescimento de 22,16% em relação a 2012, quando foram atendidas 8.509 pessoas.

Um dos maiores destaques é sem dúvida o Programa de Controle do Tabagismo, que no ano passado atendeu 1.582 pessoas e tem taxa de sucesso (quando a pessoa deixa de fumar após um mês do início do tratamento) de 74,9%.

Um dos exemplos do programa é a dona de casa Alva Maria Silva de Oliveira, de 72 anos. Após fumar por 65 anos e chegar a três maços de cigarro por dia, a paciente comemorava ter chegado a oito dias seguidos sem colocar um único cigarro na boca, menos de um mês após iniciar o tratamento.

“Descobri o programa meio que por acaso. Vim ao PAM para um atendimento médico e me perguntaram se eu queria parar de fumar. Eu gostei da ideia e fui logo fazer a minha inscrição. Já estou há oito dias sem fumar. Não vou dizer que não sinto falta, mas com o que a gente aprende aqui e com as sessões de auriculoterapia, a gente aprende e consegue se controlar”, contou.

O programa começou em 2010 e, desde o ano passado, as palestras e sessões de acompanhamento dos pacientes receberam o apoio das sessões de auriculoterapia, para reduzir a ansiedade dos ex-fumantes durante o tratamento. Muitos pacientes relatam que, além da melhora na área da saúde, também obtiveram conquistas nas áreas econômicas e sociais:

“Eu agora estou trabalhando muito mais, porque me sobra mais tempo. A gente perde muito tempo fumando, agora o meu dia rende mais. Além disso, melhorou a minha convivência social, porque nos restaurantes, bares e nos bailes que eu frequento, eu precisava sair da mesa para fumar, perdia os papos, e agora isso não acontece mais”, comemora a auxiliar administrativa Lucimar Tudinho dos Santos, de 49 anos, que está desde o dia 16 de julho sem fumar.

Na avaliação da diretora do PAM de Cavalcanti, Cíntia de Luna, o sucesso das ações desenvolvidas no posto se deve, principalmente, à união de todos os 177 profissionais lotados na unidade, sejam do corpo clínico, sejam da área administrativa: “Todos trabalham em conjunto e fazem o seu melhor, nas suas áreas, para oferecerem o melhor atendimento possível ao paciente”, afirmou.

 Atenção aos estudantes – O PAM de Cavalcanti oferece desde 2008 o Programa de Saúde na Escola, com ênfase na saúde bucal e hoje se subdivide em quatro módulos básicos abordados com alunos de sete escolas da região: Saúde Bucal, Vigilância Nutricional, Saúde Sexual e, mais recentemente, Prevenção ao Uso de Drogas e Álcool. No ano passado, 4.188 alunos dessas escolas foram beneficiados pelo projeto e têm acesso direto ao agendamento de consultas na unidade, por meio de um formulário próprio.

O efeito das ações de prevenções nas crianças é percebido mais claramente por aqueles que têm contato direto com elas: os profissionais que trabalham nas escolas atendidas pelo programa. Para Daniella de Araújo Rougemont, que trabalha no apoio à direção da Escola Municipal França, na Piedade, trata-se de uma ação em conjunto, pois os valores ensinados pelas famílias acabam sendo reforçados na escola e pelos profissionais de saúde.

“A formação do aluno é beneficiada, pois se mostra o caminho certo, mais saudável. E a gente sente um retorno deles, uma atenção maior e uma iniciativa maior do aluno, por exemplo, com a prática de higiene bucal. Vejo também esse aluno agir como multiplicador, principalmente as crianças menores”, afirmou Daniella.

O efeito multiplicador entre os alunos atendidos pelo programa é citado também pela coordenadora pedagógica Fernanda La Salete da Costa Justo, que trabalha na Escola Municipal Espírito Santo: “A criança leva mais do que a gente pensa. Vira um multiplicador, cobra a escova de dente. Os alunos da faixa dos três aos cinco anos de idade são as que aderem melhor. O aluno traz o pai, a mãe, que também se consultam no posto”, informou.

Dedicação premiada – Tanta dedicação vem sendo reconhecida ao longo dos últimos anos. Em 2013, o PAM de Cavalcanti recebeu o Prêmio de Qualidade Rio, por Excelência na Gestão da Organização, na categoria ouro. A unidade foi premiada também em 2011 e em 2012, nas categorias bronze e prata, e recebeu uma menção honrosa em 2010. A expectativa é a de que a premiação se mantenha para este ano.

Atendimento referenciado – A diretora Cíntia de Luna explicou que o atendimento na maioria das especialidades oferecidas pelo posto é feito de forma referenciada, mas que as consultas nas áreas de clínica médica, ginecologia e pediatria podem ser marcadas diretamente na unidade, com a apresentação da guia de encaminhamento. O posto funciona de segunda à sexta-feira, das 7h da manhã às 19h.

FONTE: Governo do Estado do Rio de Janeiro
http://www.saude.rj.gov.br

Esta entrada foi publicada em Blog. Adicione o link permanente aos seus favoritos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *