Projeto Plateias Hospitalares chega à Rede Municipal

Pacientes do Hospital Municipal da Piedade receberam a ação do Doutores da Alegria

unnamed (1)No lugar do estetoscópio, um violão. Ao invés da seringa, a poesia. Esse foi o tratamento oferecido aos pacientes do Hospital Municipal da Piedade na tarde de hoje. A unidade recebeu o projeto Plateias Hospitalares, da ONG Doutores da Alegria, cujo primeiro espetáculo foi realizado pela Companhia de Teatro Íntimo com a intervenção cênica “Poesia ao Pé do Ouvido”. Um cortejo com os atores percorreu corredores e leitos do hospital com declamação de poesias e músicas que alegraram os pacientes, visitantes e profissionais de saúde.

A aposentada Iracema Silvares de Berrondo, 71 anos, internada na unidade, se emocionou com a apresentação e chegou a ligar para a irmã, que estava em casa. “Fiquei tão encantada com a chegada deles que liguei para que ela pudesse também ouvir a bela música e a poesia apresentada pelos artistas! Se eu não estivesse operada, já estaria até dançando!”, disse.

O coordenador médico do Hospital Municipal da Piedade, José Alberto Vaz, comemorou a ação, ressaltando que a humanização é essencial para a melhora do paciente. “O resultado foi fantástico, dentro da proposta de humanização do atendimento do hospital. A dinâmica melhora a resposta do paciente ao tratamento a partir de uma maneira mais humana com atividade lúdica, como poesia e música”.

“Eu senti a melhora do estado de saúde do meu pai com a chegada do grupo”, concordou a dona de casa Raquel Costa, que estava acompanhando o pai no CTI. “Ele estava dormindo, sem ânimo, e acordou na hora para cantar. Foi muito bom!”.

O Hospital Municipal da Piedade foi o primeiro hospital da rede municipal do Rio de Janeiro a receber a visita do projeto, que já atende outras cidades, como Niterói, São Gonçalo, São Paulo, e Recife. Um dos objetivos da parceria entre os Doutores da Alegria e a Secretaria Municipal de Saúde é levar o projeto para outras unidades da rede.

Tratamento do riso melhora 97% dos pacientes

Um levantamento realizado em 2012 sobre a intervenção dos palhaços nos hospitais de Recife, realizado pelos Doutores da Alegria com o Instituto Fonte, confirmou o impacto positivo no tratamento e relacionamento entre hospital e pacientes: 95% das crianças e adolescentes apresentam maiores evidências clínicas de melhoras, 91% se alimentam melhor e 97% colaboram mais com os tratamentos. Em breve, o grupo vai realizar um estudo para avaliar também o impacto do trabalho do projeto Plateias Hospitalares.

Em palestra realizada na última quarta-feira no Hospital Municipal da Piedade, o fundador do grupo Doutores da Alegria, Wellington Nogueira, ressaltou os benefícios da presença dos artistas para os pacientes internados. “Os atores buscam que os pacientes criem um novo significado para a internação hospitalar ou a realização de um exame. Tudo é feito com muito respeito, sem invadir o espaço. Acreditamos que a alegria põe o paciente em contato com seu lado mais saudável e, assim, desenvolve uma nova maneira de lidar com doença”, explicou.

Sobre o Plateias Hospitalares

Criado em 2009 pela organização Doutores da Alegria, o projeto Plateias Hospitalares entra no seu quinto ano de existência, com 300 apresentações realizadas e mais de 40.000 pessoas impactadas, incluindo adultos e idosos, nos hospitais públicos do Estado do Rio de Janeiro. O objetivo do projeto é levar apresentações artísticas de qualidade a esses públicos – pacientes, visitantes, profissionais de saúde e funcionários.

FONTE: Prefeitura Municipal do Rio de Janeiro
http://www.rio.rj.gov.br/web/smsdc

Esta entrada foi publicada em Blog. Adicione o link permanente aos seus favoritos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *