Ressonância Magnética Móvel chega pela primeira vez a São Pedro da Aldeia

O serviço de Ressonância Magnética Móvel da Secretaria de Estado de Saúde (SES) chega hoje, dia 12 de março, ao município de São Pedro da Aldeia. O aparelho estará até 26 de abril na região e também vai beneficiar pacientes dos municípios de Búzios, Saquarema, Silva Jardim, Maricá, Iguaba Grande, Araruama, Cabo Frio e Arraial do Cabo.

Para agendar o exame, o paciente deve entregar o pedido médico à secretaria municipal de Saúde de sua cidade, que encaminhará uma planilha com as demandas para o serviço da SES e avisará ao paciente sobre a data em que deverá comparecer para realizar o procedimento. Quem possui aparelho celular, recebe a confirmação da SES via torpedo telefônico, até 48 horas antes da data marcada para o exame, com informações sobre o local e horário.
Os resultados são entregues depois de 10 a 15 dias úteis à secretaria municipal, que fica responsável por entregá-lo ao paciente, para que o mesmo encaminhe ao médico solicitante.
Desde agosto de 2010, quando foi inaugurado, o serviço já realizou 13.530 exames e tem capacidade para fazer até 35 procedimentos por dia. O único aparelho de Ressonância Magnética instalado em uma unidade pública de emergência no estado do Rio de Janeiro encontra-se no Hospital Estadual Adão Pereira Nunes, em Saracuruna. O Rio Imagem, centro de diagnóstico por imagem da SES, também oferece o exame. A Ressonância Magnética Móvel está instalada no Centro da cidade, na Av. Getúlio Vargas, Pátio da Igreja Matriz, e vai funcionar de segunda a sexta, das 7h30 às 21h, e aos sábados, das 7h30 às 15h.
TCMs – Os Tomógrafos Computadorizados Móveis também estão no interior do estado. A partir de amanhã, 13 de março, o TC1 chega a Cantagalo, na Região Serrana do Rio, e se instala na Praça Miguel de Carvalho , Centro (em frente à Prefeitura). O serviço estará na cidade até o dia 23 de março e também atenderá moradores de Cordeiro, Carmo, Duas Barras, Macuco, Santa Maria Madalena, São Sebastião do Alto, Trajano de Moraes e Bom Jardim.
O TC2 fica em Rio Claro, na Região do Médio Paraíba, até o próximo dia 17 de março, na Praça Padre Ezequiel, ao lado da Igreja. De lá, segue para Paracambi em 19 de março, atendendo pacientes de Japeri, Queimados, Seropédica, Paulo de Frontin e Mendes.
O objetivo do projeto é atender regiões em que não há esse tipo de exame na rede pública de saúde ou que o serviço já existente não seja capaz de suprir a demanda. Instalado em uma carreta especial, fabricada e montada por uma empresa norte-americana, o equipamento é capaz de realizar um exame em 30 segundos (enquanto os aparelhos antigos levam entre 20 e 40 minutos), permitindo um diagnóstico mais rápido e preciso. O tomógrafo computadorizado móvel é operado por médicos radiologistas e o resultado do exame é entregue à Prefeitura.
Os TCMs funcionam das 7h30 às 18h30 e, aos sábados, das 7h30 às 15h. Os aparelhos têm capacidade para realizar 70 exames por dia cada um. As tomografias móveis funcionam com gerador externo ou eletricidade externa, mas possuem um gerador próprio, com capacidade para operar de oito a nove horas por dia; dois aparelhos de ar-condicionado, elevador para macas e cadeira de rodas e contam, ainda, com vestiário para o paciente.
Ressonância x Tomografia – Os exames de imagem possibilitam um diagnóstico preciso e rápido, além de permitir um tratamento mais adequado. A diferença entre os dois serviços não é uma questão de qualidade e, sim, de aplicações e tecnologia. A ressonância utiliza um campo magnético elevado para formar a imagem e o paciente não pode ter nada ferromagnético ou sensível ao campo magnético no corpo, como, por exemplo, marca-passo, implantes, piercing ou próteses ferromagnéticas. Além disso, a ressonância magnética é um exame mais demorado (leva entre 20 e 40 minutos) do que a tomografia e o paciente precisa ficar absolutamente imóvel; do contrário, o exame precisa ser refeito.
Em contrapartida, não possui radiação ionizante, diferente da tomografia. A indicação deve partir do próprio médico. Para tecidos moles, como encéfalo, medula espinhal e óssea, músculos, tendões, meniscos, cartilagem, fígado, vasos e artérias cerebrais, a ressonância é mais indicada por ter maior sensibilidade e especificidade diagnóstica. Já para pacientes vítimas de trauma, com cálculos renais e doenças do tórax, a tomografia é o procedimento ideal.
FONTE: Governo do Estado do Rio de Janeiro
Esta entrada foi publicada em Blog. Adicione o link permanente aos seus favoritos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *