Saúde do Estado propõe parceria com municípios da Baixada para desafogar o Hospital da Posse

Previsão é que a regularização dos repasses estaduais seja aliada a um redesenho das redes municipais de urgência e emergência

O secretário de Estado de Saúde do Rio de Janeiro, Luiz Antônio Teixeira Jr., anunciou nesta segunda-feira (6/2) uma proposta de parceria com os municípios da Baixada Fluminense para desafogar a emergência do Hospital Geral de Nova Iguaçu (Hospital da Posse). Com a previsão de regularização dos repasses estaduais a partir de março, a proposta é que as prefeituras priorizem suas unidades de urgência e emergência, oferecendo mais leitos locais. Além de agilizar o atendimento à população, a medida vai permitir que os pacientes sejam cuidados na própria cidade de origem e não tenham que se deslocar até a Posse.

– O grande dever de casa é cada município apresentar o que vai poder ter de atendimento de portas abertas 24 horas. É importante ter a Policlínica de Japeri funcionando, Belford Roxo voltar com o Hospital Municipal Jorge Júlio dos Santos (Joca), Mesquita ter uma porta de entrada qualificada no seu sistema de saúde – exemplificou o secretário.

O anúncio foi feito durante o sexto dos nove encontros regionais de acolhimento aos novos gestores – Integra Saúde RJ, na sede do Cisbaf (Consórcio Intermunicipal de Saúde da Baixada Fluminense), em Nova Iguaçu. Estiveram presentes secretários de Saúde e representantes de nove prefeituras da região, incluindo Nova Iguaçu, Duque de Caxias e São João de Meriti. O papel do consórcio nessa nova empreitada será consolidar as propostas de rede de atendimento de urgência e emergência dos municípios.

– Quando assumimos, em janeiro de 2016, os repasses de cofinanciamento estavam suspensos. Conseguimos compensar os valores referentes a seis meses do ano passado para todos os municípios, apesar de a crise financeira do Estado não ter dado trégua. Agora é a hora de as prefeituras também utilizarem com mais planejamento os recursos para atendimento de média e alta complexidade que vêm do Ministério da Saúde, privilegiando a organização das portas de entrada e dos leitos de retaguarda – destacou o secretário.

Outra medida importante para desafogar a Posse é a construção do novo Hospital de Traumato-Ortopedia da Baixada, onde funcionava o Hospital Melchíades Calazans, em Nilópolis. A previsão da SES é que a unidade esteja funcionando em 60 dias.

– Temos um gargalo em ortopedia importante. Muitos acidentes de moto na Baixada, pacientes que ficam na Posse à espera de cirurgia ortopédica. Vamos unificar esses atendimentos em Nilópolis – concluiu o secretário Luiz Antônio.

FONTE: Governo do Estado do Rio de Janeiro
http://www.saude.rj.gov.br

Esta entrada foi publicada em Blog e marcada com a tag , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , . Adicione o link permanente aos seus favoritos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *