Secretaria de Estado de Saúde participa de Reunião do Ministério da Saúde sobre dengue e chikungunya

Em 2015, Rio de Janeiro registrou mais de 9 mil casos suspeitos de dengue; três casos de febre chikungunya já foram confirmados no estado

Foto: Mauricio Bazilio/SESA troca de experiências para o combate à dengue e à febre chikungunya é o tema central do evento que reuniu, nesta terça-feira (24/3), representantes de secretarias estaduais e municipais de diversas regiões do país.

Realizada pelo Ministério da Saúde, a Reunião Macrorregional Centro-Oeste, Sudeste e Sul busca debater ações de prevenção e assistência à população foi aberta pela subsecretária de Vigilância em Saúde da secretaria de Estado de Saúde, Hellen Myiamoto, que destacou a importância do desenvolvimento de ações de controle das doenças.

 – A dengue é um tema antigo e atual ao mesmo tempo. Essa troca de experiências vai permitir acompanharmos as ações que estão sendo executadas em outros estados. O aparecimento de casos de febre chikungunya reforça mais ainda o cuidado que temos que ter com essas ações de controle – afirmou.

A reunião terá continuação nesta quarta-feira (25/3). De acordo com o Ministério da Saúde, os eventos macrorregionais são estratégicos para o planejamento e fortalecimento das iniciativas de combate à dengue e atualmente, à chikungunya. A ideia é promover o debate a respeito da situação epidemiológica da dengue no Brasil, aspectos clínicos, de vigilância e de diagnóstico das doenças, além dos desafios e perspectivas da vigilância epidemiológica.

O superintendente de Vigilância Epidemiológica e Ambiental da Secretaria de Estado de Saúde, Alexandre Chieppe, reforçou a necessidade de trabalhar observando as particularidades de cada região.

– É relevante porque algumas dessas regiões têm semelhanças e diferenças com relação ao Rio de Janeiro. É interessante saber o que tem sido feito com essas mortalidades, fazer uma análise e aprofundar as diretrizes do Ministério da Saúde em relação às ações de controle, prevenção e assistência a pacientes com dengue e chikungunya. Com isso, podemos aplicar essas melhorias no estado do Rio de Janeiro – complementou.

Dengue em 2015 – De acordo com o Ministério da Saúde, foram notificados 224,1 mil casos no país até o dia 7 de março de 2015. Já a Secretaria de Estado de Saúde informa que durante as onze semanas epidemiológicas de 2015 (de 1º de janeiro até 20 de março), foram notificados 9.278 casos suspeitos de dengue no estado do Rio de Janeiro, com quatro (4) óbitos em Resende.

Chikungunya em 2015 – O Ministério da Saúde registrou 1.409 casos cofirmados de febre chikungunya, até o dia 07 de março de 2015. No Estado do Rio de Janeiro, segundo a Superintendência Epidemiológica e Ambiental da SES, foram confirmados 3 casos da doença em 2015, até o dia 20/03.  Todas as notificações foram diagnosticadas em pessoas com registro de viagem internacional recente para países onde ocorre a transmissão e, portanto, não foram contaminadas no Brasil.

Prontuário Eletrônico – A Secretaria Estadual de Saúde implementou um Prontuário Eletrônico para auxiliar os profissionais de saúde do estado no atendimento a pessoas com dengue. Após inserir os dados do paciente no sistema, o programa avalia os sintomas e indica qual o melhor tratamento a ser seguido, e até aponta a necessidade de internação.

Campanha 10 Minutos Contra a Dengue – A campanha da Secretaria de Estado de Saúde é o tom de alerta para evitar um alarme neste verão, sendo uma importante ferramenta de conscientização para a necessidade de todos se engajarem no combate ao foco do mosquito Aedes aegypti, transmissor da doença. O objetivo é estimular a população a investir 10 minutos por semana para eliminar possíveis criadouros em suas casas, já que o ambiente doméstico concentra 80% dos focos.

Rio Contra a Dengue na internet – O site do programa da Secretaria de Estado de Saúde traz todas as informações sobre a campanha dos 10 Minutos Contra a Dengue como folhetos explicativos, a lista de ações que devem ser feitas semanalmente, tirinhas do personagem Mosquiteiro, espaço para marcar a data em que o morador fez a vistoria em casa e muito mais. O material foi produzido também para que gestores municipais tenham a opção de fazer o download do folheto e distribuir para a população. O endereço do site é www.riocontradengue.com.br. Nas redes sociais, é possível também fazer a sua parte, seguindo o perfil www.twitter.com/RioContraDengue

FONTE: Governo do Estado do Rio de Janeiro
http://www.saude.rj.gov.br

Esta entrada foi publicada em Blog. Adicione o link permanente aos seus favoritos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *