Secretaria de Estado de Saúde pretende vacinar 4,1 milhões de pessoas contra a gripe

Campanha Nacional de Vacinação contra a gripe conta com 1.500 postos em todo o estado 

unnamed (7)Com o slogan “Contra a gripe, seu escudo é a vacinação”, o Ministério da Saúde iniciou nesta segunda-feira (04/05) a Campanha Nacional de Vacinação contra a Gripe, que tem como meta imunizar 80% do público-alvo, cerca de 49,7 milhões de pessoas. Até o dia 22 de maio, a campanha vai imunizar contra os três subtipos de vírus da gripe que mais circularam no último inverno: A/H1N1 (gripe suína); A/H3N2 e influenza B.

O secretário de Estado de Saúde, Felipe Peixoto, acompanhou o primeiro dia de vacinação na Clínica da Família de Alcântara, em São Gonçalo, segundo município mais populoso do estado e que contará com 75 pontos de imunização. Os 1.500 postos fluminenses de saúde estarão vacinando gestantes, mulheres puérperas (com até 45 dias do parto), pessoas com mais de 60 anos, crianças com entre seis meses e cinco anos de idade, portadores de doenças crônicas, além de indígenas, população carcerária e profissionais de saúde e do sistema prisional.

No próximo sábado (09/05), será realizado o Dia D, dia de mobilização nacional em que os postos estarão abertos para atender quem não consegue se dirigir às unidades durante a semana.

– É muito importante que as pessoas que fazem parte dos grupos prioritários tomem a vacina. É uma iniciativa de atenção básica essencial. Nosso objetivo é imunizar 4,1 milhões de pessoas no estado – afirmou o secretário.

A aposentada Maria Ribeiro da Silva, de 67 anos, compareceu ao posto junto com a neta, a pequena Maria Fernanda, de 1 ano e 7 meses.

– Há três anos tomo a vacina e desde então, não tive mais gripe. A gripe parece simples, mas sei que ela pode se agravar. Além de me vacinar, trouxe minha netinha também, para que ela fique protegida – contou a aposentada.

A subsecretária estadual de Vigilância em Saúde, Hellen Myamoto, esclareceu que a vacina é extremamente segura e fundamental na prevenção da gripe.

– A gripe é uma doença benigna para a maioria das pessoas. No entanto, em alguns grupos específicos, ela pode se agravar. É importante que ela seja tomada neste período que antecede o inverno para que os anticorpos que protegem da doença  possam se desenvolver – explicou a subsecretária.

Campanha de 2014 – Em 2014, o estado do Rio de Janeiro atingiu 83,98% de cobertura vacinal, ultrapassando a meta do Ministério da Saúde.

Contraindicação – As únicas contraindicações são a alergia aos componentes da vacina, principalmente à proteína do ovo, e os portadores de doenças neurológicas em atividade. Vale ressaltar que pessoas que podem comer ovo frito, pão, bolo ou macarrão não têm essa alergia. Quem estiver com gripe ou apresentado estado febril ou sintomas de dengue, o recomendado é esperar melhorar, para depois se vacinar. O imunizante deve ser tomado todos os anos. A escolha pelo período do outono para a aplicação é estratégica, pois a vacina precisa de duas semanas para induzir alguma proteção e de quatro a seis semanas para que a máxima proteção seja alcançada. Como o inverno é período de maior circulação do vírus, tomando a vacina no outono garante-se máxima proteção no período de maior circulação do vírus. Segundo a Organização Mundial de Saúde (OMS), a vacinação é a forma mais eficaz para prevenir a gripe e suas complicações. Provocada pelo vírus Influenza, a gripe ataca todos os anos entre 10 e 20% da população do planeta – algo em torno de 600 milhões de pessoas. Se não for tratada, pode gerar complicações que provocam entre 250 mil e 500 mil mortes por ano e milhões de internações. As complicações mais comuns são pneumonia, infecção no ouvido (otite) e inflamação nos brônquios (bronquite).

Tire suas dúvidas sobre a vacina contra gripe

– Por que é tão importante tomar a vacina contra a gripe?
A vacina é a principal forma de evitar a gripe e suas complicações, que podem provocar internações hospitalares ou até mesmo a morte. A vacina protege contra os três principais tipos de vírus que provocam a doença.

– Quem deve tomar a vacina?
O grupo prioritário é formado por pessoas com 60 anos ou mais, crianças de seis meses às que ainda não completaram 5 anos, indígenas, gestantes, mulheres com até 45 dias do parto, população carcerária, profissionais de saúde e profissionais que atuam no sistema prisional, além de portadores de doenças crônicas.

– É dose única?
Para adultos, sim. As crianças devem tomar uma dose de reforço 30 dias após a primeira vacinação.

– Onde eu posso me vacinar?
A pessoa deve procurar o posto de saúde mais próximo de sua casa. Mil e quinhentos postos de saúde em todo o estado foram mobilizados para oferecer a vacina à população. Doentes crônicos devem levar a prescrição médica, especificando o motivo da indicação da vacina. É importante lembrar que a Campanha Nacional de Vacinação contra a Gripe vai até o dia 22 de maio.

– Existe alguma contraindicação?
As únicas contraindicações são a alergia aos componentes da vacina, principalmente à proteína do ovo, e os portadores de doenças neurológicas em atividade. Vale ressaltar que pessoas que podem comer ovo frito, pão, bolo ou macarrão não têm essa alergia. Quem estiver com alguma infecção aguda acompanhada de febre alta, deve esperar melhorar para se vacinar.

– Eu me vacinei no ano passado, por que tenho que repetir esse ano?
A vacina é atualizada todos os anos para proteger contra os principais vírus da gripe que estão circulando no mundo e no Brasil. Por isso, é importante que todas as pessoas que pertencem aos grupos prioritários se vacinem em todas as campanhas.

– A vacina provoca gripe?
Não, trata-se de um mito. A vacina é produzida com vírus inativos, por isso não provoca a gripe.

– Gripe e resfriado são a mesma coisa?
Não. A gripe é causada pelo vírus Influenza e causa frequentemente sinais e sintomas intensos, como febre alta, tosse com secreção, dores no corpo e queda do estado geral. Já o resfriado tende a causar um quadro clínico mais brando, como uma indisposição leve, coriza e espirros.

FONTE: Governo do Estado do Rio de Janeiro
http://www.saude.rj.gov.br

Esta entrada foi publicada em Blog. Adicione o link permanente aos seus favoritos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *