Série de webconferências IEN/Fiocruz terá nova edição em 2015

Termina no próximo dia 24, com a oitava apresentação, a série de webconferências sobre o uso seguro da radiação em saúde, promovida este ano em parceria do Instituto de Engenharia Nuclear (IEN), unidade da Comissão Nacional de Energia Nuclear (CNEN) no Rio de Janeiro, com a Escola Nacional de Saúde da Fundação Oswaldo Cruz (ENSP/Fiocruz). O projeto de tele-educação continuada é dirigido a profissionais de saúde pública que trabalham com radiações ionizantes. Uma nova edição da série já está programada para o próximo ano.

A palestra que encerra a série, sobre radiopatologias e tratamentos, será apresentada pelo médico Lenine Fenelon Costa, que por alguns anos chefiou o serviço de medicina do trabalho da Comissão Nacional de Energia Nuclear (CNEN). Desde março, sempre na última segunda-feira do mês (menos em junho), especialistas de várias instituições apresentaram temas como a história da radiação na medicina, radiação na indústria, usinas nucleares, legislação para o setor e outros. Houve uma média de 15 participantes por webconferência, que interagiram com perguntas e comentários. A apresentação sobre proteção radiológica, com a física Valéria Pastura, do IEN, registrou o recorde de 33 participantes.

“Interagimos com profissionais da área médica de todos os níveis e de vários estados do país, que nos incentivaram a prosseguir”, conta o coordenador de Ensino do IEN, Julio Cezar Suita, que integra a equipe gestora do projeto. Ele conta que a agenda de palestras para 2015 já está sendo discutida: “Manteremos o mesmo formato e mesmo foco, mas com novos temas e convidados”. Um dos objetivos, adianta, é buscar a colaboração de colegas de outras unidades da CNEN e agregar novas instituições. Em 2014, participaram das conferências especialistas das Universidades Estadual do Rio de Janeiro (UERJ) e Estácio de Sá.

Para a pesquisadora da ENSP Liliane Teixeira, coordenadora do projeto, este primeiro ano foi uma experiência reveladora: “Há um desconhecimento muito grande por parte desses profissionais.” O tema é importante para a saúde pública, defende, e deve ser aprofundado. A ampliação do público é outra preocupação. “Foram poucos participantes no começo, o público foi crescendo ao longo do ano, mas vamos incrementar as ações de divulgação”, conta. A nova série deve começar em março de 2015.

As conferências são transmitidas pela Rede Universitária de Telemedicina (Rede RUTE), sistema criado pela Rede Nacional de Ensino e Pesquisa (RNP), órgão do Ministério de Ciência, Tecnologia e Inovação (MCTI), para apoiar, com a infraestrutura de telecomunicação, projetos institucionais que utilizam redes na web para trocar e difundir informações médicas. Para acessar a série, clique aqui.

FONTE: CNEN
http://www.cnen.gov.br

Esta entrada foi publicada em Blog. Adicione o link permanente aos seus favoritos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *