SES inclui Maricá na lista de municípios prioritários para vacinação contra febre amarela

Com a confirmação da circulação do vírus no município, áreas específicas de Itaboraí, na divisa com a cidade, também terá vacinação intensificada. Entre os 65 municípios considerados estratégicos, 47 já têm vacinas em quantidade suficiente para a imunização de seus habitantes

Dando continuidade à estratégia de priorizar municípios mais vulneráveis para a vacinação contra febre amarela, a Secretaria de Estado de Saúde incluiu Maricá, na região metropolitana, na lista de cidades estratégicas para a imunização da população. Além do município, regiões específicas de Itaboraí, localizadas próximas à divisa com Maricá, também passam a fazer parte das áreas estratégicas para a vacinação. Novos lotes de doses estão sendo destinados às prefeituras nos próximos dias, de acordo com o cronograma de entrega das remessas feitas à SES pelo Ministério da Saúde. Maricá registrou, nesta semana, o primeiro caso de febre amarela confirmado no município: o paciente, morador do bairro Bananal (área rural), estava internado no Instituto Nacional de Infectologia Evandro Chagas, da Fiocruz, e foi a óbito na madrugada desta quarta-feira (19/4). Os exames que indicaram a infecção pelo vírus da febre amarela foram concluídos nesta quinta-feira (20/4).

– Desde que recebemos a notificação de caso suspeito de um morador de área de mata de Maricá, deslocamos equipes da vigilância estadual para atuação em campo e, imediatamente, enviamos reforço de doses para reposição do estoque de Maricá. Agora, vamos seguir priorizando as áreas onde há confirmação da circulação do vírus e regiões próximas, de acordo com o protocolo de bloqueio. Nosso objetivo é atuar de forma conjunta com a prefeitura, visando à proteção da população fluminense – explica o secretário estadual de Saúde, Luiz Antônio Teixeira Jr.

O município de Maricá é o 65º a ser incluído na lista de prioritários para a vacinação de seus habitantes. A orientação da SES é para que as vacinas sejam utilizadas, primordialmente, para a imunização das pessoas que vivem em bairros rurais e próximos às matas. Além de Maricá, os municípios de Saquarema e Itaboraí também receberão reforço no quantitativo de doses, com o objetivo de antecipar a vacinação das pessoas que moram em áreas próximas da divisa entre as cidades.

– O acompanhamento constante do cenário epidemiológico e a integração com os municípios têm sido fundamental para que possamos estabelecer a estratégia de prioridade para os municípios mais suscetíveis. No caso de Maricá, desde o primeiro momento em que recebemos a notificação da suspeita, atuamos de forma conjunta com a vigilância municipal, adotando as medidas necessárias para atualização da nossa avaliação de cenário, o que está permitindo a pronta resposta neste momento – complementa o subsecretário de Vigilância em Saúde, Alexandre Chieppe.

Quantitativo suficiente em 47 cidades – Entre os 65 municípios considerados estratégicos pela Subsecretaria de Vigilância em Saúde da SES, 47 já tiveram disponibilizadas doses em quantidade suficiente para imunizar seus habitantes. São elas: Aperibé, Areal, Bom Jardim, Bom Jesus do Itabapoana, Cachoeiras do Macacu, Cambuci, Cantagalo, Carapebus, Cardoso Moreira, Carmo, Casimiro de Abreu, Comendador Levy Gasparian, Conceição de Macabu, Cordeiro, Duas Barras, Engenheiro Paulo de Frontin, Guapimirim, Iguaba Grande, Italva, Itaocara, Itatiaia, Laje do Muriaé, Macuco, Miguel Pereira, Miracema, Natividade, Paraíba do Sul, Paty do Alferes, Porciúncula, Quatis, Quissamã, Rio Bonito, Rio das Flores, Rio das Ostras, Santa Maria Madalena, Santo Antônio de Pádua, São Francisco de Itabapoana, São Fidélis, São João da Barra, São José de Ubá, São José do Vale do Rio Preto, São Sebastião do Alto, Sapucaia, Silva Jardim, Sumidouro, Trajano de Moraes e Varre-Sai.

Além destes, outros 17 municípios são considerados prioritários e também receberão novas remessas de vacinas, de acordo com a entrega a ser feita pelo Ministério da Saúde. São eles: Araruama, Armação dos Buzios, Arraial do Cabo, Cabo Frio, Campos dos Goytacazes, Itaperuna, Macaé, Magé, Nova Friburgo, Petrópolis, Resende, São Pedro da Aldeia, Saquarema, Tanguá, Teresópolis, Três Rios e Valença.

Mais de 4 milhões de doses distribuídas no RJ – Desde janeiro, quando deu início à vacinação preventiva de bloqueio nas cidades localizadas próximas às divisas com os estados de Minas Gerais e Espírito Santo, com base na avaliação constante do cenário epidemiológico, a SES já disponibilizou 4.200.125 doses de vacinas para os 92 municípios do estado, atendendo à estratégia de priorizar as cidades mais vulneráveis. O objetivo da SES é imunizar toda a população elegível – cerca de 12 milhões de pessoas – de forma gradativa, em todo o estado do RJ, até o fim deste ano.

Organização para vacinação nos municípios – A estratégia de como se dará a vacinação em cada cidade deve ser definida por cada uma das 92 prefeituras, observando a disponibilidade de doses pelo Ministério da Saúde, a capacidade operacional – como número de postos e de pessoal capacitado para o trabalho -, além do armazenamento correto das doses, para que não haja perda de vacinas.

FONTE: Governo do Estado do Rio de Janeiro
http://www.saude.rj.gov.br

Esta entrada foi publicada em Blog e marcada com a tag , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , . Adicione o link permanente aos seus favoritos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *