SMS realiza Ações de Prevenção da AIDS no Largo da Carioca

Foram distribuídos preservativos e panfletos com orientações diversas 

O Largo da Carioca foi palco, nesta quinta-feira, dia 27, de mais uma atividade de prevenção e conscientização com muita alegria e descontração. Com ações educativas e de entretenimento, ao som de marchinhas de carnaval, cerca de 100 pessoas, entre profissionais de saúde, da Vigilância Sanitária e voluntários, distribuíram preservativos e material educativo sobre cuidados com alimentos, esterilização de material para profissionais de salão de beleza, doenças transmitidas pela água, entre outras. Parceiro da Secretaria Municipal de Saúde, o Grupo Pela Vidda realizou testes de HIV numa sala próxima ao local.

A proposta da ação, além de educativa, era mostrar à sociedade que é preciso agir preventivamente contra doenças e que a população também pode ser uma grande parceira. Por isso, a Vigilância Sanitária Municipal distribuiu informativos sobre vários temas, como controle de zoonoses, doenças relacionados ao uso de piscinas, orientações para usuários de farmácias e em salões de beleza, colocação de piercings,  tatuagens, entre outros.

Nos estandes montados bem no meio do Largo da Carioca, as pessoas aprovaram a iniciativa. O estudante de administração Elizeu Monteiro, de 27 anos, pegou vários preservativos e apoiou a ação. “É muito importante fazer este trabalho de conscientização. Desta forma, com muita alegria e descontração, fica mais fácil ensinar que, sem camisinha, o sexo não é seguro”, disse o estudante, após receber um kit com preservativos.

Drag Queens e Go Go Boys, todos voluntários do Grupo Pela Vidda, ao mesmo tempo em que realizavam performances, distribuíam preservativos à população. O foco, nesta ação, foi a prevenção de doenças sexualmente transmissíveis e Aids. Marisa Maria da Silva, de 38 anos, estava animada com a apresentação. “Esse tipo de ação é muito divertida e, ao mesmo tempo, educa. A prevenção é importante e este trabalho de conscientização é fundamental para que possamos reduzir o número de pessoas contaminadas”, afirmou Marisa, que é funcionária de um laboratório de análises clínicas.

FONTE: Prefeitura Municipal do Rio de Janeiro
http://www.rio.rj.gov.br/web/smsdc

Esta entrada foi publicada em Blog. Adicione o link permanente aos seus favoritos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *