Técnicos da Prefeitura participam de curso sobre saúde da população rural

Começou nesta segunda-feira, 17, no Centro Interescolar de Agropecuária José Francisco Lippi, em Venda Nova, no 3º Distrito, o curso Rede de Atenção à Saúde da População Rural. A iniciativa tem o objetivo de qualificar e atualizar profissionais locais para atuarem como interlocutores e interventores na solução de problemas de saúde e ambientais nas áreas rurais, e conta com a participação de técnicos das secretarias municipais de Saúde, Agricultura e de Meio Ambiente e da Emater/RJ.

A capacitação é promovida pela UERJ (Universidade Estadual do Rio de Janeiro) e Fiocruz (Fundação Oswaldo Cruz), e financiada pelo Governo do Estado, através da Faperj (Fundação Carlos Chagas Filho de Amparo à Pesquisa do Estado do Rio de Janeiro). Com carga de 180h, o curso acontece até junho deste ano, com dois dias mensais de seminários e oficinas, além de outras atividades orientadas pela coordenação, como trabalhos de campo, e contempla ainda o acompanhamento dos municípios onde é ministrado por um período de cinco anos.

De acordo com um dos coordenadores, o médico e professor da Faculdade de Ciências Médicas da UERJ, Pedro Coscarelli, o projeto é voltado para as especificações da vida na zona rural. “Reconhecemos o espaço rural como uma área de práticas de saúde específicas diferentes da zona urbana, daí a necessidade de um trabalho voltado para este território. Assim, a formação e atualização dos profissionais que atuam no interior são de suma importância. Além disso, para obtermos melhores resultados, preconizamos uma participação intersetorial entre Saúde, Meio Ambiente e Agricultura”, afirmou Coscarelli.

O médico frisou que o projeto já é realizado em outras cidades do estado do Rio e é nítida a melhoria no atendimento, assim como do diagnóstico e do mapa epidemiológico mais fidedigno. Assim, é possível promover ações de saúde voltadas para a prevenção. O trabalho é coordenado ainda pela sanitarista da Escola Nacional de Saúde Pública Sérgio Arouca (ENSP), Lise Barros, que ministrou o primeiro seminário do curso falando sobre hábitos humanos e transformação do ambiente.

O curso Rede de Atenção à Saúde da População Rural adota o método da pesquisa participante e da pesquisa-ação, voltada para a intervenção, melhoria e enriquecimento do conhecimento para a solução dos problemas, com foco no território rural. Além disso, a atualização prevê ainda a promoção de ações educativas, assim a metodologia de trabalho prioriza a discussão coletiva e o diálogo das questões de saúde, trabalho e ambiente, a partir da experiência e da cultura dos participantes, como parte do processo de formação.

A capacitação é composta pelos seguintes módulos: Desenvolvimento Sustentável, Ambiente e Saúde; SUS e Desenvolvimento Sustentável; Vigilância em Saúde no Território Rural; Agrotóxicos e Rede de Atenção à Saúde Rural. Entre os temas abordados estão processo produtivo e transformação do ambiente rural; Saúde, trabalho, ambiente no território rural; Vigilância Epidemiológica: identificação dos problemas de saúde no território rural (endemias, zoonoses, doenças de veiculação hídrica, etc); Vigilância Ambiental (água e saneamento, ar, solo, alimentos e agroquímicos); Intoxicação, contaminação da água, ar, solo e alimentos; e Criação da Rede de Atenção à Saúde Rural.

unnamedCurso de atualização é voltado para profissionais das áreas de saúde, agricultura e de meio ambiente​

FONTE: Prefeitura Municipal de Teresópolis
http://www.teresopolis.rj.gov.br

Esta entrada foi publicada em Blog. Adicione o link permanente aos seus favoritos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *