Trombose é discutida no Into por especialistas do centro do país

Referência no tratamento ortopédico no SUS, o Instituto também lançou campanha de prevenção contra a doença

Especialistas do Rio de Janeiro e de São Paulo se reúnem nesta sexta-feira (02/10) no Instituto Nacional de Traumatologia e Ortopedia Jamil Haddad (Into), órgão do Ministério da Saúde, para discutir as formas de prevenção e tratamento da trombose. A doença – causada pelo entupimento de veias geralmente depois de cirurgia, corte ou mesmo pela falta de movimento – ocorre com maior frequência após procedimentos ortopédicos, oncológicos e ginecológicos.

O Simpósio de Atualização em Anticoagulação é gratuito e debaterá, especialmente, o “Tromboelismo Venoso” e o “Tromboelismo Arterial na Cardiologia”. Neste ano, o Into intensificou as ações de prevenção à trombose ao público em geral, depois de rastrear a doença entre pacientes que haviam saído da internação pós-procedimento cirúrgico. No universo de 7.560 cirurgias realizadas no ano passado, 151 dos pacientes retornaram ao Into em decorrência de trombose – ou seja, 2%.

“Trombose é uma doença grave, que pode levar até a morte por embolia pulmonar. É extremamente necessário discutir, no meio médico, como podemos evitar novos casos, como induzir os pacientes a utilizar a medicação indicada pelo tempo necessário – que é longo – e a se movimentarem após as cirurgias”, alerta o chefe da Área de Medicina Interna do Into e organizador do simpósio, Salo Buksman.

A campanha, lançada pelo Into, em agosto ressaltou a necessidade de que os pacientes cumpram à risca todas as prescrições médicas depois de voltar para casa. O material com orientações é distribuído entre o público que circula diariamente pelo Instituto – 10 mil pessoas, entre pacientes, acompanhantes, visitantes e funcionários.

RISCO DE EMBOLIA PULMONAR – Os pacientes submetidos a cirurgias de joelho, quadril e trauma (como fraturas) são o principal foco de preocupações dos especialistas. Essas três subespecialidades cirúrgicas corresponderam a 80% dos casos verificados no ano passado em pacientes que retornaram ao Into depois de operados. O percentual de ocorrência de trombose foi de 4,7% em pacientes submetidos a cirurgia de joelho, de 2,9% nos casos de cirurgia de trauma e de 2,8% nos de cirurgia de quadril. O rastreamento e ações de prevenção à trombose integram o Programa Nacional de Segurança do Paciente.

A trombose, que pode ocorrer após uma cirurgia ortopédica, é geralmente localizada nas pernas, provocando entupimento da veia, causando dor e inchaço. Às vezes, coágulos podem se soltar, viajando pelo sangue até ‘encalhar’ no pulmão, o que é chamado de embolia pulmonar. Essa condição, que provoca uma súbita falta de ar, pode ser bastante grave e exige atendimento imediato.

SERVIÇO – O simpósio ocorre nesta sexta-feira (02/10), das 8h às 12h30. Ainda é possível se inscrever no site do Into: https://www.into.saude.gov.br/conteudo.aspx?id=380

FONTE: Ministério da Saúde
http://www.saude.gov.br

Esta entrada foi publicada em Blog. Adicione o link permanente aos seus favoritos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *