Vacinação contra a gripe termina na sexta, dia 9

Teresópolis registra 32,30% de cobertura, com 12.040 pessoas imunizadas

Esta sexta-feira, 9, é o último dia da campanha nacional de vacinação contra a gripe. Desde o seu lançamento, em 24 de abril, Teresópolis imunizou 12.040 pessoas, com 32,30% de cobertura do público-alvo. O percentual se aproxima da cobertura nacional, que registra 34,14%, e está acima da estadual, que alcançou 25,15% da meta. São 20 postos fixos de imunização, na cidade e no interior. O atendimento ao público acontece das 9h às 16h. É necessária a apresentação do cartão de vacina.

Das 12.040 pessoas que receberam a vacina contra a influenza no município, foram imunizados 2.499 crianças de seis meses a 5 anos incompletos; 385 gestantes; 92 puérperas (até 45 dias após o parto); 8.464 idosos com 60 anos ou mais e 600 trabalhadores de saúde.

Também, devem ser imunizadas pessoas com comorbidades, como portadores de diabetes e de doença respiratória, cardíaca, renal, hepática e neurológica crônicas. A determinação é do Ministério da Saúde, que tem uma lista de categorias de risco clínico com indicação para a vacina contra influenza. Essas pessoas devem apresentar uma indicação médica solicitando a vacina.

LOCAIS DE VACINAÇÃO

• Cidade: Unidade de saúde de Albuquerque; PSFs de Araras, Barra do Imbuí, Beira Linha, Fonte Santa, Granja Guarani, Granja Florestal, Meudon, Perpétuo, Pimenteiras, Quinta Lebrão, Rosário; Centro de Saúde Armando de Sá Couto e Centro Materno Infantil, na Várzea.

• Interior: Unidades de saúde de Bonsucesso e de Vieira; PSFs de Vargem Grande e Venda Nova; Igreja de São Pedro e São Paulo (Volta do Pião) e Nikkei Club (Pessegueiros).

Categorias de risco clínico com indicação para vacina contra influenza, segundo o Ministério da Saúde:

Categoria de risco clínico Indicações
Doença respiratória crônica • Asma em uso de corticóides inalatório ou sistêmico (Moderada ou Grave);

• DPOC;

• Bronquioectasia;

• Fibrose cística;

• Doenças intersticiais do pulmão;

• Displasia broncopulmonar;

• Hipertensão arterial pulmonar;

• Crianças com doença pulmonar crônica da prematuridade.

Doença

cardíaca crônica

• Doença cardíaca congênita;

• Hipertensão arterial sistêmica com comorbidade;

• Doença cardíaca isquêmica;

• Insuficiência cardíaca.

Doença renal crônica • Doença renal nos estágios 3,4 e 5;

• Síndrome nefrótica;

• Paciente em diálise.

Doença

hepática crônica

Atresia biliar;

• Hepatites crônicas;

• Cirrose.

Doença neurológica crônica • Condições em que a função respiratória pode estar comprometida pela doença neurológica;

• Considerar as necessidades clínicas individuais dos pacientes, incluindo: AVC, Indivíduos com paralisia cerebral, esclerose múltipla e condições similares;

• Doenças hereditárias e degenerativas do sistema nervoso ou muscular;

• Deficiência neurológica grave.

Diabetes • Diabetes Mellitus tipo I e tipo II em uso de medicamentos.
Imunossupressão • Imunodeficiência congênita ou adquirida

• Imunossupressão por doenças ou medicamentos.

Obesos • Obesidade grau III.
Transplantados • Órgãos sólidos;

• Medula óssea.

Portadores de trissomias • Síndrome de Down, Síndrome de Klinefelter, Sídrome de Wakany, dentre outras trissomias.

 *Fonte: Ministério da Saúde

FONTE: Prefeitura Municipal de Teresópolis
http://www.teresopolis.rj.gov.br

Esta entrada foi publicada em Blog. Adicione o link permanente aos seus favoritos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *