Vacinação contra febre amarela na Região Serrana será intensificada

Imunização será ampliada em Petrópolis, onde foi confirmada morte de macaco pela doença; Teresópolis e Nova Friburgo também reforçarão ações, assim como Guapimirim, Duque de Caxias e Nova Iguaçu

Dando continuidade à estratégia de priorizar os municípios mais vulneráveis, a Secretaria de Estado de Saúde está orientando que a vacinação contra febre amarela seja ampliada no município de Petrópolis. As cidades vizinhas de Teresópolis e Nova Friburgo também reforçarão suas ações de imunização contra o vírus. Os três municípios já integram a lista de prioritários indicados pela SES, com base na avaliação do cenário epidemiológico no RJ e no país, principalmente, nos estados de Minas Gerais e Espírito Santo. As novas orientações para os três municípios estão sendo passadas às secretarias municipais de Saúde por meio de notas técnicas, diante da confirmação da morte de um macaco por febre amarela no município de Petrópolis. Novos lotes de vacinas estão sendo liberados para os municípios de Petrópolis e Teresópolis. Nova Friburgo já recebeu vacinas em quantidade suficiente para imunizar seus habitantes.

– Iniciamos a vacinação preventiva em Petrópolis no dia 18 de março. Em conjunto com os municípios, estamos conseguindo nos antecipar e adotar medidas preventivas, com base na evolução do cenário epidemiológico, acompanhado de forma constante pelas equipes de vigilância. Graças ao trabalho que já vem sendo desenvolvido, as áreas rurais da cidade e do seu entorno já contam com boa cobertura vacinal. O momento é de reforçar as ações e intensificar a prevenção. Contamos com a população para que todos compareçam aos postos para se vacinar – explica o secretário de Estado de Saúde, Luiz Antônio Teixeira Jr.

Técnicos da Vigilância em Saúde da SES estiveram reunidos com representantes dos três municípios para traçar as estratégias.

– Com a confirmação da circulação do vírus no município de Petrópolis, é preciso pesar os riscos e benefícios da vacina, portanto, nossa orientação é para que idosos e gestantes sejam vacinados, desde que sejam submetidos a uma avaliação individual. A vacina é contraindicada caso haja alguma deficiência no sistema imunológico. Estamos num momento importante de prevenção. Inclusive, é importante lembrar que a vacina contra a febre amarela pode ser tomada junto com a da gripe. São vacinas seguras e eficientes na proteção contra estas doenças – explica o subsecretário de Vigilância em Saúde, Alexandre Chieppe.

Antecipar para prevenir – Com base na avaliação constante do cenário epidemiológico, a SES vem priorizando a imunização dos habitantes de áreas mais vulneráveis, onde já há confirmação da circulação do vírus e nas regiões limítrofes. Por conta da localização geográfica, as cidades de Guapimirim, Duque de Caxias e Nova Iguaçu, na Baixada Fluminense, também estão recebendo novos lotes de vacina para que possam intensificar a imunização de seus moradores, como uma medida preventiva – sendo que as áreas rurais destas cidades também já apresentam boa cobertura vacinal.

Ações de controle de vetores – Em Petrópolis, a Superintendência de Vigilância Epidemiológica e Ambiental da SES está adotando o protocolo de bloqueio para controle do vetor no bairro onde houve a confirmação de circulação do vírus. Técnicos da SES estão no município para avaliação do cenário, em apoio a Vigilância municipal.

– Sabemos que o mosquito que está transmitindo a febre amarela é o vetor silvestre, que vive nas matas e regiões rurais. Portanto, é fundamental que as equipes de vigilância dos municípios de mantenham atentas a possíveis casos. Estamos em um período de baixa circulação do mosquito e ainda assim, é preciso que a população não deixe de se vacinar – informa o superintendente de Vigilância Epidemiológica e Ambiental da SES, Mario Sergio Ribeiro.

Municípios prioritários – Atualmente, 55 municípios prioritários já tiveram vacinas disponibilizadas em quantidade suficiente para a imunização de seus habitantes. São eles: Aperibé, Araruama, Areal, Armação dos Búzios, Bom Jardim, Bom Jesus do Itabapoana, Cachoeiras do Macacu, Cambuci, Cantagalo, Carapebus, Cardoso Moreira, Carmo, Casimiro de Abreu, Comendador Levy Gasparian, Conceição de Macabu, Cordeiro, Duas Barras, Engenheiro Paulo de Frontin, Guapimirim, Iguaba Grande, Italva, Itaocara, Itaperuna, Itatiaia, Laje do Muriaé, Macaé, Macuco, Maricá, Miguel Pereira, Miracema, Natividade, Nova Friburgo, Paraíba do Sul, Paty do Alferes, Porciúncula, Quatis, Quissamã, Rio Bonito, Rio das Flores, Rio das Ostras, Santa Maria Madalena, Santo Antônio de Pádua, São Francisco de Itabapoana, São Fidélis, São João da Barra, São José de Ubá, São José do Vale do Rio Preto, São Sebastião do Alto, Sapucaia, Silva Jardim, Sumidouro, Tanguá, Trajano de Moraes, Valença e Varre-Sai.

FONTE: Governo do Estado do Rio de Janeiro
http://www.saude.rj.gov.br

Esta entrada foi publicada em Blog e marcada com a tag , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , . Adicione o link permanente aos seus favoritos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *