Blocos de Saúde Mental desfilam no Carnaval Carioca

Reforma psiquiátrica vira enredo do Tá Pirando, Pirado, Pirou! e do Loucura Suburbana

untitledA saúde mental se prepara para cair na folia ao ritmo dos sambas dos blocos Tá Pirando, Pirado, Pirou!, nas ruas da Urca, e Loucura Suburbana, no Engenho de Dentro, nos próximos dias 31 de janeiro e 4 de fevereiro. Os blocos são formados por usuários, técnicos e familiares de pacientes de unidades de saúde mental do Rio de Janeiro. Os desfiles dos dois blocos fazem parte do calendário oficial de carnaval de rua da Prefeitura do Rio.

Mais do que a alegria da folia, para os pacientes de saúde mental todo o processo de preparação para o carnaval faz parte do trabalho terapêutico desenvolvido pela rede de atenção especializada. Dentre as atividades estão as oficinas de arte e música, onde são confeccionadas as fantasias e alegorias e produzidos os sambas dos blocos, cujos enredos refletem o dia a dia e a realidade dos pacientes.

A coordenadora do coletivo Loucura Suburbana, Ariadne Mendes, explica que a iniciativa auxilia no tratamento e na construção da identidade, fomentando a arte e a criatividade:

“Os pacientes se transformam ao longo do tempo e passam a descobrir o seu lado artístico, desenvolvendo a sua identidade. Além disso, atividades culturais como o carnaval são uma oportunidade de promover a integração dos pacientes com a sociedade. É uma verdadeira transformação social”, afirma Ariadne.

Tá Pirando, Pirado, Pirou!

O coletivo carnavalesco Tá Pirando, Pirado, Pirou!, que reúne pacientes de unidades como o Instituto Municipal Philippe Pinel, fará seu 11º desfile no domingo que antecede o carnaval, dia 31 de janeiro, a partir das 15h, com concentração na Avenida Pasteur, na Urca. O enredo é “Faxina nas ideias. Mais arte, mais solidariedade. O samba é um santo remédio!”. O tema é uma defesa da reforma psiquiátrica e da desospitalização dos pacientes da saúde mental.

O coletivo irá inovar no desfile com a mistura de ritmos entre samba e reggae com o samba-enredo “O samba é um santo remédio”, composto pelo paciente Hamilton de Jesus. A novidade deste ano será a participação do bloco Céu na Terra, de Santa Teresa, que tocará em seu repertório músicas tradicionais de Moçambique, as marrabentas, incluindo a participação especial de um trombonista moçambicano que vem ao Rio especialmente para o desfile.

Loucura Suburbana

Para celebrar o 15° aniversário do Loucura Suburbana, o bloco irá contar em seu desfile, no dia 4 de fevereiro, um pouco da sua história desde a criação até se tornar um dos principais movimentos coletivos de cultura e liberdade com ênfase pela reforma psiquiátrica e da luta antimanicomial. A concentração será às 17h, no Instituto Municipal Nise da Silveira, na Rua Ramiro Magalhães, 521, no Engenho de Dentro. O bloco tem como enredo: “É batuque e fantasia; utopia e realidade – 15 Anos de Loucura sacudindo a cidade!”.

FONTE: Prefeitura Municipal do Rio de Janeiro
http://www.rio.rj.gov.br/web/smsdc

Esta entrada foi publicada em Blog. Adicione o link permanente aos seus favoritos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *