NOTA TÉCNICA – Ministério da Saúde enfrenta dificuldade no repasse de vacinas aos estados

A Subsecretaria de Vigilância em Saúde do Governo do Estado informa aos 92 municípios do Rio de Janeiro que recebeu do Ministério da Saúde comunicado em 25 de fevereiro de 2014 explicando o motivo da entrega irregular de algumas vacinas do calendário nacional. A saber, o ente federal, deu ciência que:

Dupla Adulto (dT) – Devido a problemas no processo de compra, a entrega da vacina dT foi adiada. Um novo processo de compra emergencial foi realizado, e o envio das doses acabou sendo reagendado para maio.

BCG – Também por problemas no processo de compra, a entrega da vacina BCG sofreu um atraso. O Ministério da Saúde informa ainda que não há prazo de quando a entrega da vacina será normalizada. O envio das doses será gradativo.

Meningocócica C – A previsão do Ministério da Saúde é que o envio da vacina fosse retomado de forma gradativa em março.

Tetra Viral – Houve um atraso na produção da vacina. A previsão inicial do Ministério da Saúde é que o envio da Tetra Viral aos estados fosse retomado em abril.

Tríplice Acelular (DTPa) – Devido a problemas na produção, a entrega da vacina sofreu atraso. A previsão do Ministério da Saúde é que o envio da DTPa fosse retomado em abril.

Tríplice Viral – Também por problemas na produção, a entrega da vacina foi adiada nos postos de saúde. O Ministério da Saúde informa ainda que não há prazo de quando a entrega da Tríplice Viral será normalizada. O envio das doses será gradativo.

Imunoglobulina humana antirrábica – O Ministério da Saúde esclarece que a demora na importação do produto causou um atraso para sua distribuição. Ainda que não há prazo de quando a entrega será normalizada.

Soros:

Antirrábico humano, Antitetânico, Antibotrópico, Antibotrópico / Crotálico, Anticrotálico, Antiloxoscélico, Antiaracnídico e Antielapídico – Para atender às adequações da ANVISA, os laboratórios fabricantes das vacinas interromperam suas produções, atrasando a entrega dos produtos. O Ministério da Saúde informa ainda que não há prazo de quando a entrega desses soros será normalizada.

Soro Antidiftérico – Devido a problemas na produção, a distribuição do soro sofreu um atraso.

FONTE: Governo do Estado do Rio de Janeiro
http://www.saude.rj.gov.br

Esta entrada foi publicada em Blog. Adicione o link permanente aos seus favoritos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *