O pioneirismo das técnicas radiológicas no Pará

thumbnail_1443820634Os primeiros operadores de raios X foram indispensáveis à profissionalização das técnicas radiológicas no Brasil e merecem o nosso reconhecimento. No 5º Congresso Nacional e 2º Intercâmbio Internacional dos Profissionais das Técnicas Radiológicas, que será realizado em Brasília/DF, nos dias 30, 31 de outubro e 1º de novembro de 2015, o Conselho Nacional de Técnicos em Radiologia (CONTER) vai render homenagem a esses pioneiros que serão condecorados com a Medalha CONTER Wilhelm Conrad Röntgen. Conheça hoje a história do senhor Paulo Oliveira Gomes, personagem que fez a diferença em nossa trajetória.

Empenho, perseverança e atuação conjunta. Esse tripé foi essencial para que os pioneiros da Radiologia no país conquistassem a regulamentação da profissão. O homenageado de hoje trata-se de um dos muitos personagens que saíram em defesa da consolidação da Lei nº 7.394/85. Com mais de 30 anos de profissão, Paulo Oliveira Gomes dedicou cinco deles à filiação dos técnicos em Radiologia do estado do Pará junto à Federação das Associações dos Técnicos em Radiologia do Brasil (FATREB). A partir dessa união nasceu mais uma Associação de Técnicos em Radiologia no país, a ATREPA, que teve Paulo como fundador-presidente, de 1979 a 1985.

Seu maior objetivo era unir a categoria para lutar por melhores condições de trabalho, bem como promover a capacitação de leigos para operação adequada de equipamentos de radiação ionizante. Como presidente da ATREPA, Paulo promoveu vários cursos de operadores de raios X, que eram ministrados por médicos radiologistas. Esses cursos eram realizados com recursos oriundos de doações à associação e com o apoio de algumas empresas localizadas em Belém/PA.

ATREPA

Na época, o anseio pela garantia dos direitos perante a sociedade já era antigo. Desde 1976 já tramitava, em Brasília, um projeto de lei para organizar as atividades profissionais da categoria. Três anos depois, Paulo reivindicou os direitos da categoria no V Congresso Brasileiro de Técnicos em Radiologia. E finalmente, em 1985, foi sancionada a Lei nº 7.394/85 que regulamentava a profissão de técnico em Radiologia. Neste momento, com a sensação de dever cumprido, a ATREPA encerrou suas atividades, de modo que a fiscalização, normatização e inscrição de pessoas legalmente habilitadas passaram a ser responsabilidade do Conselho Nacional de Técnicos em Radiologia (CONTER) e dos Conselhos Regionais (CRTRS), que estavam iniciando seu processo de implantação.

Ao longo dos anos, Paulo Gomes forneceu seus serviços técnicos ao Hospital Universitário João de Barros Barreto (1980 a 2009), ao Hospital Ophyr Loyola (1978 a 1988) e a Santa Casa de Misericórdia do Pará (1992 a 1995). Em 2009, após muito trabalho e lutas pela categoria, aposentou-se e colhe os frutos de semear um trabalho de amor e dedicação. O Brasil agradece por todo o compromisso, luta e dedicação com a Raiologia ao longo desses anos.

A você, o nosso muito obrigado, mestre!

FONTE: CONTER
http://www.conter.gov.br

Esta entrada foi publicada em Blog. Adicione o link permanente aos seus favoritos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *