Aumento da demanda esgota vacina de febre amarela no Rio

Secretaria de Saúde alerta que vacinação em massa na cidade não é indicada

Devido ao aumento de demanda desde que começaram notícias sobre febre amarela em Minas Gerais – apesar de não haver necessidade de vacinação em massa no município do Rio – o estoque de doses da vacina contra a doença nas unidades da Secretaria Municipal de Saúde (SMS) está quase no fim. Em alguns postos, já não há mais o insumo. Só este mês, mais de 17 mil doses foram aplicadas, quando a média mensal é de 5 mil. A SMS está  recebendo do Ministério da Saúde nova remessa da vacina, mas alerta que somente as pessoas com indicação devem se vacinar.

Não há febre amarela na cidade do Rio. Só devem ser vacinadas as pessoas que passaram por avaliação médica, assim como as pessoas que estão com viagem agendada para locais com registros da doença, como Minas Gerais, Amazonas, Pantanal e países como Colômbia, Bolívia, Equador e Peru, entre outros.

O mosquito Aedes aegypti, presente no Rio de Janeiro, não é o transmissor da febre amarela silvestre, que tem acometido moradores de cidades mineiras. Os últimos casos de febre amarela urbana, transmitida por este vetor, foram registrados no Brasil em 1942.

A febre amarela silvestre é transmitida pelos mosquitos dos gêneros Haemagogus e Sabethes, que vivem em matas e vegetações à beira dos rios. Esses vetores ocorrem nas áreas florestais, habitats de determinados tipos de primatas, que são os hospedeiros do vírus, como ocorre em Minas Gerais.

A vacina da febre amarela exige cuidados específicos. A preocupação da SMS é que, com esta corrida, haja casos de reações adversas em pacientes com contraindicação. Mesmo com o recebimento de nova remessa, também há o risco das doses se esgotarem com esta procura quatro vezes maior que a demanda regular, acarretando falta para atender às pessoas que vão de fato viajar para as áreas com risco da doença e para quem a vacinação seja indispensável.

Dúvidas ou outras informações sobre a doença e locais de vacinação podem ser consultadas no site da SMS (http://www.rio.rj.gov.br/web/sms).

FONTE: Prefeitura Municipal do Rio de Janeiro
http://www.rio.rj.gov.br/web/smsdc

Esta entrada foi publicada em Blog e marcada com a tag , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , . Adicione o link permanente aos seus favoritos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *