Cirurgia plástica de Hospital Federal do Rio recebe prêmio máximo em Congresso Nacional

O trabalho foi apresentado no 53º Congresso Brasileiro de Cirurgia Plástica e despertou o interesse de professores, cirurgiões e médicos residentes da Itália, Alemanha e Argentina

A equipe de cirurgia plástica do Hospital Federal do Andaraí (HFA), unidade do Ministério da Saúde no Rio de Janeiro, recebeu, no dia 14 de novembro, o prêmio de melhor trabalho científico no 53º Congresso Brasileiro de Cirurgia Plástica, realizado em Fortaleza (CE). Concorrendo com cerca de 500 estudos, a ‘Pesquisa Laboratorial sobre a Resposta Metabólica ao Trauma das Cirurgias Associadas Pós-Bariátrica’ foi desenvolvida em conjunto com a Universidade do Estado do Rio de Janeiro (UERJ) e a Escola Paulista de Medicina.

A técnica das cirurgias associadas pós-bariátrica a que se refere o trabalho premiado foi criada no HFA, e permite a realização de quatro tipos de procedimentos cirúrgicos ao mesmo tempo (reparação do abdômen, peito, braços e coxas). O procedimento despertou o interesse de vários participantes do Congresso, como professores, cirurgiões e médicos residentes da Itália, Alemanha e Argentina, que foram conhecer de perto o trabalho realizado pela equipe coordenado pelo cirurgião Carlos Del Piño Roxo, no Rio de Janeiro.

BENEFÍCIOS – As cirurgias realizadas no HFA permitem a redução pela metade do tempo de plástica reparadora para os pacientes que já haviam sido submetidos à cirurgia bariátrica – de 8 a 10 horas para 4 horas de procedimento cirúrgico. Já a recuperação pós-cirúrgica, que demora pelos métodos tradicionais cerca de dois meses, também foi reduzida para 10 a 15 dias – ou seja, para até 1/6 do tempo médio. Outro aspecto relevante é a diminuição do risco cirúrgico. Complicações que exigiam transfusões, por exemplo, foram reduzidas a quase zero nos pacientes submetidos a esse tipo de cirurgia no HFA.

Carlos Del Piño Roxo ressalta ainda que  “ao conseguir realizar quatro cirurgias em uma mesma pessoa ao mesmo tempo, diminuímos também o custo dos procedimentos e a fila de pacientes, uma vez que eles estavam à espera de várias cirurgias.”

Até agora, 675 pacientes foram submetidos a essa técnica cirúrgica no Hospital Federal do Andaraí. A unidade realiza desde o ano 2000 cirurgias pós-bariátricas gratuitamente pelo Sistema Único de Saúde (SUS). Desde então, esses procedimentos já ocorriam com forma diferenciada, que reduz o tamanho da cicatriz de corte do abdômen porque, em vez de corte vertical, é feito corte em formato de âncora no abdômen.

FONTE: Ministério da Saúde
http://www.saude.gov.br

Esta entrada foi publicada em Blog e marcada com a tag , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , . Adicione o link permanente aos seus favoritos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *