Vigilância Sanitária abre curso para industria de alimentos

Aulas tem o objetivo de diminuir o número de infrações

A partir desta sexta, dia 13, a Vigilância Sanitária municipal vai abrir vagas para os profissionais e proprietários de indústrias de alimentos do Rio de Janeiro, referentes ao curso de “Boas Práticas na Fabricação de Alimentos”, que tem o objetivo de minimizar os riscos á saúde dos consumidores.

As primeiras aulas serão no próximo dia 20. Serão 30 vagas e as inscrições poderão ser feitas até a véspera, pelo telefone (21) 2224-9751. Cada curso será realizado num único dia e terá a duração de cinco horas. No final, todos os participantes receberão um certificado.

Além de orientar sobre as condições adequadas na manipulação de alimentos, o curso também tem o objetivo de diminuir o número de infrações cometidas pelo setor industrial e, conseqüentemente, a ocorrência de doenças provocadas por alimentos preparados de forma imprópria.

Durante as aulas, serão apresentadas as normas para a higiene e controle de alimentos e como ocorrem as contaminações microbianas, além de outras conseqüências da manipulação incorreta. Há também dicas de cuidados com os alimentos, de acordo com sua origem (carnes, frios e embutidos, pescados, aves e ovos, produtos lácteos, etc), e de conservação e armazenamento.

O local de trabalho também é alvo do curso, que ensina regras de higiene pessoal, de ambiente e de equipamentos, bem como de desinfecção e de controle de insetos e roedores. A legislação com normas higiênico–sanitárias também será apresentada e discutida com os participantes.

Durante todo o ano vão ocorrer mais aulas como essas. O curso que acontece no dia 20 vai começar às 9h e será no auditório da sede da Vigilância Sanitária, que fica na Rua do Lavradio, nº 180, no sexto andar.

Essa atividade educativa faz parte da rotina da Vigilância Sanitária municipal, que também orienta funcionários e proprietários de locais que comercializam os alimentos já fabricados, como bares, restaurantes e hotéis.

As atividades educativas fazem parte do novo perfil do órgão, que investe na educação do setor regulado (estabelecimentos de alimentos, saúde e beleza) para diminuir o número de infrações e, conseqüentemente, de riscos à saúde da população carioca.

A coibição da comercialização de produtos impróprios também pode ser feita pela população, através de denúncias à central de atendimento 1746. Todas as demandas serão encaminhadas aos técnicos da Vigilância Sanitária, que comparecerão aos estabelecimentos denunciados, para avaliarem as condições higiênico-sanitárias e, caso necessário, aplicarem as penalidades previstas em lei.

FONTE: Prefeitura Municipal do Rio de Janeiro
http://www.rio.rj.gov.br/web/smsdc

Esta entrada foi publicada em Blog. Adicione o link permanente aos seus favoritos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *