Dia Mundial do Diabetes: 6,9% da população brasileira tem a doença

IEDE ilumina a faixada em azul para alertar sobre a doença

unnamedNos últimos anos, o índice de pessoas com diabetes aumentou de 5,5% para 6,9% e as mulheres lideram o ranking das estatísticas. Os dados do Ministério da Saúde servem de alerta para a importância do diagnóstico precoce da doença que, associada a outros fatores, pode acarretar problemas mais graves de saúde. Para chamar a atenção desta patologia, o dia 14 de novembro comemora o Dia Mundial do Diabetes.

O Instituto Estadual de Diabetes e Endocrinologia Luiz Capriglione (IEDE), unidade referenciada para o atendimento exclusivo a pacientes portadores de doenças endócrinas e metabólicas, ilumina sua fachada de azul neste mês para alertar sobre a necessidade da prevenção e dos cuidados necessários para quem diabetes. A cor azul simboliza o céu e representa a união dos portadores.

Cerca de 90% dos casos de diabetes são do tipo 2 e aparecem na idade adulta, mas o controle da doença, feito com dieta e medicamentos, é fundamental para garantir uma vida normal. De acordo com o diretor-geral da unidade, Ricardo Meirelles, a doença é genética, mas se manifesta com o excesso de peso e sedentarismo. “A obesidade e o diabetes são as duas grandes epidemias da humanidade”, afirma.

Segundo a responsável pelo Serviço de Diabetes do IEDE, Rosane Kuppfer, nas últimas décadas, a sobrevida dos pacientes tem aumentado, apesar da gravidade da doença. “O diabetes tipo 1, por exemplo, se manifesta no público infanto-juvenil. Com o devido acompanhamento clínico, este grupo chega à idade adulta com uma qualidade de vida melhor, mais saudável”, afirma.

A patologia do tipo 1 é autoimune e consiste em uma falha no sistema de defesa do corpo. Esta lacuna leva à destruição das células do pâncreas que produzem a insulina, hormônio que leva o açúcar para dentro das células. O acúmulo de açúcar no sangue aumenta o risco de doenças do coração e do rim, podendo acarretar outras complicações, como, por exemplo, a cegueira. Para controle da doença, os pacientes fazem uso de aplicações de insulina pelo resto da vida, além de outros cuidados, como a prática regular de exercícios físicos.

Congresso de Diabetes no Rio de Janeiro. Entre os dias 13 e 15 de novembro será realizado o 1° Congresso Regional de Diabetes. Na ocasião, especialistas irão debater temas relevantes sobre a doença, novas tecnologias e os tratamentos praticados. O encontro acontecerá no Hotel Royal Tulip, em São Conrado, Zona Sul do Rio. O IEDE terá um estande para receber os congressistas que desejarem participar de encontros para falar sobre o planejamento alimentar do paciente e como avaliar o pé diabético de risco. Serão sorteados exemplares do Manual de Educação em Diabetes para os participantes.

Serviço IEDE.  A unidade é referenciada pela rede estadual de saúde e não tem atendimento de emergência. Após diagnóstico realizado em posto de saúde ou clínica da família do município, o paciente é encaminhado pela regulação para tratamento no IEDE. O atendimento é feito de sexta a sexta, das 7h às 17h.

FONTE: Governo do Estado do Rio de Janeiro
http://www.saude.rj.gov.br

Esta entrada foi publicada em Blog. Adicione o link permanente aos seus favoritos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *